Publicidade

09 de Abril de 2014 - 07:00

Por Tribuna

Compartilhar
 

A Polícia Militar e a Prefeitura têm a expectativa de iniciar o monitoramento das ruas de Juiz de Fora, por meio do programa "Olho vivo", até o mês de junho, antes do inicio da Copa do Mundo. Nesta semana, o Executivo lançou edital que visa a contração de uma empresa que fornecerá funcionários para monitorar, 24 horas por dia, e sete dias por semana, as 54 câmeras, distribuídas em ruas de bairros como o Alto dos Passos, São Mateus, Santa Luzia, Santa Cruz, Benfica, além do Centro. As firmas interessadas em participar do pregão deverão apresentar suas propostas no dia 16 de abril. Vencerá aquela que oferecer o menor valor para o serviço, estimado em R$ 60,701,67 ao mês, e cumprir uma série de exigências legais, como não ser considerada inidônea para licitar com a Prefeitura e não estar em processo de falência ou dissolução. Caso não haja atrasos, os colaboradores contratados deverão iniciar treinamento com a PM em 19 de maio.

A previsão inicial é que as primeiras 21 câmeras sejam instaladas no Centro, mas conforme o secretário de Governo, José Sóter de Figueirôa, há um grande empenho para que esta primeira fase seja estendida até os bairros Alto dos Passos e São Mateus, onde estão previstos mais 12 dispositivos. De acordo com o chefe da seção de Planejamento e Emprego Operacional da 4ª Região de Polícia Militar (4ª RPM), major Robson Garrido, uma central será instalada anexa ao Comando de Operações (Copom), nas dependências do 2º Batalhão, no Bairro Santa Terezinha, Zona Nordeste. Os contratados pela terceirizada passarão por um treinamento de 50 horas, quando aprenderão critérios para informar possíveis ocorrências.

Está previsto para esta quinta-feira (10) uma reunião de trabalho com todos os atores envolvidos na execução destas obras, incluindo a Secretaria do Meio Ambiente, Cesama, Cemig, PM e Secretaria de Atividades Urbanas. Esta última trabalha atualmente na aprovação do projeto técnico e na liberação dos alvarás para que as obras tenham início. Segundo Figueirôa, o documento foi entregue segunda-feira ao Executivo, mas ainda em caráter extraoficial, pois não foi protocolado no JF Informação.

Figueirôa também esclareceu que o programa "Olho vivo" é fruto de uma parceria entre o Município e o Governo do Estado. No caso da administração local, cabe o fornecimento dos funcionários para monitorar os equipamentos, por meio desta licitação, firmar parcerias com outras empresas, como a Cemig, já que postes serão utilizados para a instalação da rede de fibra ótica, e auxiliar na aprovação dos projetos e licenças. Já o Governo do estado, por meio da Polícia Militar, foi a responsável por adquirir os dispositivos e vai fornecer o treinamento necessário para que os colabores monitorem as imagens.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que a realização de blitze seria a solução para fazer cumprir a lei que proíbe jogar lixo nas ruas?