Publicidade

22 de Abril de 2014 - 14:08

Motociclista não obedeceu ordem de parada e teria apontado objeto semelhante a arma de fogo para a aeronave

Por Marcos Araújo e Michele Meireles

Compartilhar
 

Atualizada às 20h07

Durante perseguição a uma motocicleta, no Bairro Democrata, Zona Nordeste, um tripulante do helicóptero Pégasus da Polícia Militar disparou de fuzil contra o condutor do veículo, que fugia em alta velocidade de um cerco policial e ainda teria ameaçado atirar contra a aeronave. Em cinco meses, esta é a segunda vez que militares de operações áreas precisam atirar para conter criminosos em fuga. No primeiro episódio, em novembro passado, policiais alvejaram o motor de um carro, onde dois suspeitos armados fugiam da polícia por uma estrada vicinal às margens da BR-267. 

De acordo com o registro policial, na última sexta-feira (18), por volta das 17h30, uma viatura policial que fazia patrulhamento no Bairro Parque das Águas, Zona Norte, suspeitou de um indivíduo conduzindo uma motocicleta Honda CBX 250. Os policiais avistaram um volume na cintura do condutor, dando ordem de parada a ele, que não teria obedecido. Em seguida, o suspeito, 18, prosseguiu em alta velocidade. A PM afirmou que ele avançou sinais, transitou sobre calçadas, não obedeceu à ordem de parada obrigatória e circulou pela contramão de direção. 

Segundo nota enviada pelo Comando de Policiamento Especializado do Batalhão de Radiopatrulhamento Aéreo, responsável pela operação do helicóptero, a aeronave foi acionada pelo Centro de Operações da PM (Copom) para dar apoio a quatro viaturas do 27º Batalhão de Polícia Militar, que faziam a perseguição ao fugitivo. Conforme a nota, o jovem percorreu uma distância aproximada de sete quilômetros, passando pelos bairros Parque das Águas, Carlos Chagas, Monte Castelo, Esplanada e Fábrica, até ser interceptado no Democrata. "Ao iniciar o deslocamento pela Rua Bernardo Mascarenhas, aproveitando-se do fluxo de veículos, conseguiu distanciar-se das viaturas, passando a ser acompanhado apenas pelo helicóptero. Na altura da junção da Rua Bernardo Mascarenhas com a Rua Tereza Cristina, levou a mão à cintura e, apanhando um objeto semelhante a uma arma de fogo, apontou para a aeronave", informou a nota.  

Após a ameaça, o militar que se encontrava na porta traseira direita da aeronave, um sargento de 43 anos, efetuou um disparo de fuzil 7.62mm, que atingiu a perna do suspeito. "O armamento foi utilizado na preservação de sua integridade física e de toda a guarnição aérea na defesa da vida. Mesmo alvejado, o cidadão percorreu uma distância de aproximadamente 300 metros até parar próximo à Igreja Quadrangular no Bairro Democrata, onde foi abordado pelas viaturas que lhe prestaram o devido socorro, conduzindo-o ao HPS", esclareceu a nota. 

Ainda segundo o Comando de Policiamento Especializado, cerca de 30 minutos após o fato, próximo ao local do disparo, uma testemunha encontrou uma réplica de uma pistola semiautomática debaixo de um veículo. O policial foi detido e encontra-se à disposição da Justiça Militar no 2º Batalhão de Polícia Militar, no Bairro Santa Terezinha. De acordo com a assessoria de comunicação da Secretaria de Saúde, o jovem teve fratura exposta no fêmur esquerdo e passou por cirurgia. Ele permanece internado sob custódia e está lúcido, orientado e estável. 

 

 

Equipe do Pégasus passa por treino especial

 

De acordo com o comandante de operações aéreas da PM, tenente Robson Monteiro Rocha, 16 policiais militares integram atualmente a equipe do Pégasus. Os integrantes da tropa são selecionados por meio de concurso interno. Até assumirem suas funções, de piloto ou tripulante operacional, passam por três meses de curso e outros dois de estágio. Segundo o policial, nas ocorrências, são empenhados sempre dois pilotos e dois tripulantes. "As atuações do Pégasus consistem em dar apoio a policiamento terrestre em ocorrências de maior vulto, como troca de tiro e criminosos evadindo armados. Além disso, atuamos em ocorrências que afetam a ordem pública, combate a incêndio florestal, em calamidades e resgates aeromédicos, em altura e locais de difícil acesso."  

 

Outro disparo

Segundo tenente Rocha, no dia 20 de novembro passado, militares do Pégasus também precisaram disparar para frear a fuga de criminosos. Na ocorrência, cerca de 40 policiais militares de Juiz de Fora e Bicas e a aeronave da PM foram empenhados nas buscas a dois suspeitos de roubarem um veículo em Bicas. De acordo com a Polícia Militar, uma mulher saía com o carro da garagem de sua casa quando, ao retornar para fechar o portão, foi abordada por dois homens armados. Um deles teria colocado a arma no peito da vítima e exigido o automóvel. Os bandidos entraram no veículo Golf e fugiram em direção a Juiz de Fora.

Conforme a PM, a dupla fugiu pela BR-267 e foi pedido o apoio do helicóptero, que avistou o carro trafegando em uma estrada vicinal de acesso ao distrito de Sarandira. "Quando os bandidos avistaram a aeronave, o carona empunhou uma arma e apontou para o helicóptero. Os policiais dispararam no motor do veículo para pará-lo", disse o oficial. Após a investida policial, os dois fugiram para uma área de mata fechada e não foram localizados. 

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você escolhe seu candidato através de: