Publicidade

13 de Julho de 2014 - 06:00

Por Tribuna

Compartilhar
 

A Polícia Civil estourou um laboratório de refino de cocaína em uma granja às margens da BR-267. No local, foram encontrados 12kg da droga e 14kg de material para mistura, além de equipamentos, como uma prensa. O local, conforme a polícia, era mantido por um braço da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC). Um homem de 20 anos, que atuaria como funcionário, foi preso. O entorpecente apreendido é avaliado em R$ 500 mil.

Conforme a delegada regional Sheila Oliveira, a partir da investigação da Delegacia de Roubos, Latrocínio e Antidrogas, foi feita campana no granjeamento desde a madrugada de sexta-feira. À noite, um veículo com placa de Muriaé chegou com dois homens. Um deles conseguiu fugir. No automóvel, foi localizado um tablete da substância. O jovem de 20 anos foi encaminhado ao Ceresp.

A pasta de coca era misturada a substâncias, como éter e cafeína, preparando a droga para revenda a outros traficantes. Estes, por sua vez, realizariam novas misturas antes de o produto chegar ao varejo. O entorpecente seria distribuído em Juiz de Fora e região. Uma curiosidade era o uso de uma placa com o símbolo do Super-Homem, fazendo com que a droga prensada tivesse a "marca" do grupo.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você já presenciou manifestações de intolerância religiosa?