Publicidade

07 de Fevereiro de 2014 - 15:37

Por Tribuna

Compartilhar
 

Atualizada às 20h57

A Polícia Civil indiciou por homicídio qualificado Alex Sandro Furiati, 34 anos, que confessou ter matado a tiros o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Juiz de Fora, Vandir Domingos da Silva, 63, no dia 27 de janeiro, em um estacionamento no Cento da cidade. O inquérito que investigava o caso foi concluído na última quarta-feira e, de acordo com o titular da Delegacia Especializada de Homicídio e Antidroga, Armando Avolio, está descartada a participação de um mandante no crime. 

O delegado informou que o suspeito tinha "fixação" com a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL). "Há cerca de seis anos, ele sempre dizia a familiares que tinha alguém da CDL que estava prejudicando sua vida, mas não falava o nome do Vandir. A família sempre perguntava quem seria esta pessoa". O titular da Especializada afirmou que o suspeito chegou a abrir alguns negócios, mas que, por falta de legalização, eles acabavam fechados. Alex Sandro também imputava a culpa de seu insucesso ao presidente da CDL. 

Avolio acredita que o crime foi motivado pela raiva que o autor nutria por Vandir, somado à sua suposta doença. Laudos médicos apontam que ele sofria de esquizofrenia e transtorno bibolar. "Concluímos o inquérito seguindo a mesma linha de investigação do início do caso, que foi a que Alex agiu sozinho. O procedimento foi encaminhado para a Justiça, caso o Ministério Público entenda que há alguma coisa a mais para ser investigada, o procedimento retorna para a Polícia Civil", explicou. Desde que se entregou à polícia, no mesmo dia do homicídio, Alex Sandro está preso no Ceresp. 

Vandir foi morto na manhã do dia 27 de janeiro com quatro tiros dentro de um estacionamento na Rua Marechal Deodoro.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que o Governo federal deve refinanciar as dívidas dos clubes de futebol?