Publicidade

17 de Julho de 2014 - 06:00

Leitores enviam mensagens denunciando que suas ruas não têm informação sobre o homenageado

Por CÍNTIA CHARLENE

Compartilhar
 
Apesar da importância de Mariano Procópio, placa da rua não traz explicação sobre quem foi ele
Apesar da importância de Mariano Procópio, placa da rua não traz explicação sobre quem foi ele

Após a divulgação da matéria sobre os logradouros públicos da cidade que não estavam de acordo com a lei, que exige em sua inscrição o nome e titulação da pessoa homenageada, leitores da Tribuna se manifestaram apontando outros erros pelo município. Além disso, leitores também reclamaram de grafia errada em placas em outros pontos da cidade. A reportagem voltou às ruas e encontrou o mesmo erro de grafia do Bairro "Jardim da Glória" na Rua Barão de Cataguases. O nome correto é Jardim Glória.

Outro erro apontado pelos leitores está nos dispositivos que indicam o caminho para o Morro do Imperador. As placas trazem o nome pelo qual o lugar é popularmente conhecido: Morro do Cristo. Porém, na placa de revitalização do espaço, consta a inscrição Morro do Imperador. Segundo o diretor-presidente da Fundação Museu Mariano Procópio, Douglas Fasolato, consta em documentos históricos dos séculos XIX e XX, assim como no "Álbum do Município de Juiz de Fora", de 1915, do jornalista Albino Esteves, o nome oficial Morro do Imperador. "O nome errado pode confundir as pessoas. É importante a cidade dispor de denominações corretas para não causar conflitos com os moradores e os visitantes."

O descumprimento da lei é outro caso que pode ser notado na Rua Mariano Procópio. A placa é antiga e traz em sua inscrição apenas o nome da via. Não há menção a quem foi Mariano Procópio, engenheiro responsável pela construção da primeira estrada de rodagem macadamizada no Brasil, a União e Indústria. O mesmo tipo de placa pode ser observado nas ruas Solano Braga e Carlota Malta, no Centro, e Padre Guilherme, no Bairro de Lourdes.

Por meio de nota, a Settra informou que as placas de logradouro seguem o que define a lei municipal, contemplando apenas nome e títulos. Contudo, as placas antigas ainda estão com outros tipos de informação. A expectativa da pasta é adequar o maior número de placas possíveis, padronizando-as. A nota informa ainda que, para definição das informações das placas de logradouro, a empresa que possui o direito de outorga e concessão recolhe os nomes das ruas, junto a Câmara Municipal. Já a sinalização vertical, indicações e regulamentações são definidas por meio de levantamento da Settra.

Sobre os materiais com erro, a pasta reiterou que, quando verificada a irregularidade, realiza os ajustes.

Galeria de Imagens

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você leva em consideração a escolaridade do candidato na hora de votar?