Publicidade

27 de Julho de 2011 - 16:53

Detento de 36 anos tinha doença crônica e havia dado entrada na unidade às 3h do mesmo dia

Por Sandra Zanella

Compartilhar
 

Um detento de 36 anos morreu dentro do Ceresp, no Bairro Linhares, Zona Leste, menos de 24 horas depois de chegar ao cadeião na última terça-feira (26). De acordo com a ocorrência registrada como encontro de cadáver pela Polícia Civil, Otacílio Vieira Neto estava deitado no interior da cela, vestido com o uniforme do sistema prisional e apresentava rigidez cadavérica. Peritos realizaram os levantamentos no local e não encontraram sinais evidentes de violência. Agentes penitenciários informaram à polícia que o preso seria portador de doença crônica e que teria tido alta de internação em um hospital recentemente. No mesmo dia do óbito, ele teria sido atendido na enfermaria do Ceresp, tendo retornado à cela.

Um detento que dividia o espaço com a vítima relatou aos policiais que pouco antes das 19h, Otacílio teria reclamado de fraqueza e se deitado com dificuldade. Em seguida, o companheiro de cela teria pedido aos agentes que verificassem a situação do preso, porque ele estaria "muito quieto". O Samu foi acionado e constatou o óbito. O corpo foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML).

Seds

Em nota, a Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds) informou que a direção do Ceresp instaurou um procedimento interno de investigação para apurar as circunstâncias do fato. Otacílio havia dado entrada na unidade às 3h do mesmo dia, depois de ter sido preso por furto. Ainda conforme a Seds, foi constatado que o preso era portador de doença crônica e que teria abandonado o uso de medicamentos. Ele teria recebido atendimento médico, sendo conduzido à carceragem destinada aos detentos com o mesmo perfil. Segundo a secretaria, Otacílio já tinha passagem pela unidade e recebeu alvará de soltura no dia 12 de abril.

No entanto, ele foi preso novamente pela Polícia Militar na madrugada de terça, depois de ser flagrado com uma caixa térmica que teria sido furtada do interior de uma residência do Bairro Bom Clima, Zona Nordeste. Na manhã de hoje, familiares de Otacílio estiveram no IML para a liberação do corpo. A irmã dele Kátia de Souza Vieira disse que foi surpreendida. "A gente não sabe o que aconteceu. Ele foi preso ontem (terça-feira) e às 21h30 ligaram para a gente falando que ele estava morto. Meu irmão estava debilitado, mas continuava tomando os remédios." O caso também será investigado pela Polícia Civil.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que o resultado do PIB nos dois últimos trimestres vai interferir no resultado das eleições?