Publicidade

05 de Julho de 2014 - 06:00

Por Tribuna

Compartilhar
 
Projeto do prédio foi entregue pelo reitor Henrique Duque ao delegado Cláudio Dornelas
Projeto do prédio foi entregue pelo reitor Henrique Duque ao delegado Cláudio Dornelas

A nova sede da Polícia Federal (PF) em Juiz de Fora, no Bairro Mariano Procópio, deve ser concluída em cerca de dois anos. Ontem o projeto executivo do prédio foi entregue pelo reitor da UFJF, Henrique Duque, ao delegado-chefe da Polícia Federal na cidade, Cláudio Dornelas, em cerimônia realizada no gabinete da Reitoria. Na ocasião, o delegado comunicou que o repasse do plano de construção será seu último ato oficial como representante da corporação.

O projeto é resultado do acordo de cooperação técnica assinado pelas instituições em agosto do ano passado. A UFJF ficou responsável pela análise de viabilidade da obra e fez as alterações necessárias para a instalação. Segundo o reitor, as revisões foram a elevação da estrutura em 1,5m para evitar riscos de enchente, alterações na fundação do terreno e alteração da planilha de custos em 10%, acompanhando as variações de índices da construção civil. A equipe foi organizada pela Pró-reitoria de Infraestrutura e contou com integrantes do corpo docente, professores aposentados e ex-alunos dos cursos de engenharia da universidade.

Para Cláudio Dornelas, o novo prédio representa um ganho para a cidade e para região. "A sede atual não comporta nosso efetivo, que precisa se dividir em três unidades. Com a centralização dos serviços, atenderemos melhor a população." Demandas de 127 municípios da Zona da Mata e de parte do Campo das Vertentes, que compreendem cerca de três milhões de pessoas, são encaminhadas para a regional.

A previsão, de acordo com Dornelas, é de que o edital de licitação seja lançado em breve. A sede irá funcionar em um prédio de cinco mil metros quadrados, em frente ao Museu Mariano Procópio. O total dos gastos, após a revisão, será de R$ 21 milhões.

Novo cargo

Durante a cerimônia, Dornelas também anunciou que o repasse para a licitação do projeto executivo à superintendência da Polícia Federal, em Belo Horizonte, será seu último ato oficial como chefe da PF. O delegado se despede da cidade para assumir, à convite do Ministro da Justiça, o cargo de assessor de Segurança Institucional do Tribunal Regional do Trabalho da Terceira Região, com sede na capital mineira. Cláudio faz um balanço positivo de sua atuação: "Fizemos ações para conter o crime organizado e a corrupção. A cúpula do tráfico de drogas está presa. Tudo que fiz visa à melhoria da cidade", avalia o delegado. O nome do novo chefe já está definido e será divulgado nos próximos dias.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que alertas em cardápios e panfletos de festas sobre os riscos de dirigir sob efeito de álcool contribuem para reduzir o consumo de bebidas por motoristas?