Publicidade

05 de Dezembro de 2013 - 07:00

Educadoras que ganharam o "Professores do Brasil' atuam no João XXIII e no Centro Herval Braz

Por Kelly Diniz

Compartilhar
 
Liliana Mendes e Lauriana de Paiva coordenam a "Biblioteca virtual infantil"
Liliana Mendes e Lauriana de Paiva coordenam a "Biblioteca virtual infantil"

Professoras de duas escolas públicas de Juiz de Fora vão receber o prêmio "Professores do Brasil". A premiação foi conquistada por docentes do Colégio de Aplicação João XXIII e Centro Herval da Cruz Braz. Bruna Loures de Araújo Barroso e Maria Elisabeth Perotti de Oliveira, do Herval Braz, concorreram com o projeto "Cultura de sabores - resgatando valores", na categoria "Temas livres" e na subcategoria "Séries/anos finais do Ensino Fundamental". O projeto resultou na confecção de um livro produzido pelos estudantes da escola. Já as professoras Liliana Mendes e Lauriana de Paiva, do João XXIII, foram premiadas na categoria "Educação digital articulada ao desenvolvimento do currículo" pela criação de uma biblioteca virtual infantil.

De acordo com Bruna, o "Cultura de sabores - resgatando valores" nasceu da ideia de os alunos, entre 14 e 17 anos, confeccionarem um caderno de receitas para oferecê-lo como presente no Dia das Mães. "Quando os estudantes traziam as receitas, elas não vinham sozinhas. Vinham com histórias. Vimos que as receitas iam além dos ingredientes." Então as professoras decidiram incrementar a proposta e transformá-la em um material rico. Além das maneiras de preparar o prato, o livro contém registros de lembranças dos estudantes relacionadas àquele alimento.

Ainda segundo Bruna, a escola atende alunos com histórico de dificuldade de aprendizado, e o projeto conseguiu envolver os adolescentes com a disciplina. "Quando eles viram o livro publicado, ficaram muito emocionados. Agora, com o prêmio, os alunos estão vendo o trabalho deles ser reconhecido."

Iniciada em 2010, a "Biblioteca virtual infantil" foi lançada em setembro deste ano. O projeto apresenta textos e ilustrações dos alunos do terceiro ano do ensino fundamental, catalogados a partir dos gêneros discursivos, como poesia, quadrinhos e fábulas. "A biblioteca nasceu para sanar três angústias: a escrita abreviada dos alunos, a didatização dos gêneros discursivos e para extrapolar a escrita para além das salas de aula", explica Lauriana. Segundo ela, os alunos escreviam para ser avaliados, não existia um sentido social. Agora, eles se tornaram autores. "Depois do projeto, eles começaram a produzir muito, a escrever com mais cuidado e a se autoavaliarem. Após a produção dos textos, há uma etapa na qual eles mesmos os revisam para encontrar os erros", conta Liliana. Quanto ao prêmio, ela considera uma consequência. "Foi importante para dar a exata noção da qualidade do trabalho que a gente tem desenvolvido."

Esta é a sétima edição do prêmio "Professores do Brasil", promovido anualmente pelo Ministério da Educação (MEC), com o objetivo de reconhecer o mérito de professores das redes públicas de ensino, pela contribuição dada para a melhoria da qualidade da educação básica, por meio de experiências pedagógicas bem-sucedidas, criativas e inovadoras. As educadoras irão receber os prêmios no próximo dia 12, em Brasília, das mãos da presidente Dilma Rousseff e do ministro da Educação, Aloisio Mercadante. Quarenta trabalhos serão premiados com R$ 6 mil para cada professor, além de troféu e certificado. As escolas nas quais os professores desenvolveram os trabalhos vencedores receberão placa comemorativa. Existe ainda um prêmio extra de R$ 5 mil, que será entregue a oito educadores, mas cujos vencedores só serão conhecidos durante a cerimônia em Brasília.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você é a favor da proibição de rodeios em JF, conforme prevê projeto em tramitação na Câmara?