Publicidade

08 de Janeiro de 2014 - 07:00

Por Tribuna

Compartilhar
 
Acúmulo de barro também na Rua João Francisco Monteiro
Acúmulo de barro também na Rua João Francisco Monteiro
Terra, lixo e vegetação tomam parte da Rua Melo Franco
Terra, lixo e vegetação tomam parte da Rua Melo Franco

A queda recente de dois barrancos causa transtornos no Bairro Santa Cecília, Zona Sul, principalmente porque o barro não foi removido, permanecendo acumulado sobre a calçada e o asfalto. Na Rua Melo Franco, interseção com a Rua Pedro Botti, o desmoronamento do talude aconteceu poucos dias antes do Natal, e ainda deixa a comunidade preocupada. No local, além da sujeira e da vegetação exposta, restos de lixo foram jogados no terreno, o que contribui para o mau cheiro, que já toma conta do entorno. De acordo com o aposentado João Batista Andrade, 58 anos, este tipo de situação se repete há muitos anos, sem que nenhuma providência definitiva seja adotada.

Caso semelhante é registrado na parte mais alta do bairro, entre as ruas João Francisco Monteiro e Pretestato da Silva. O trecho está incluído no mapeamento das áreas de risco da Defesa Civil. Conforme a dona de casa Maria da Glória, 59, o transtorno é observado há cerca de 30 anos e, inclusive, já houve casos de desabamento de casas da Rua Rodrigo Lemos de Paula, que fica acima. "Em 2012 a Prefeitura tirou mais de 20 caminhões de terra daqui. Além da chuva, há o problema do esgoto das casas de cima que caem sobre o barranco. Em época de chuva, pequenos pedaços de pedra chegam a atingir a janela da minha casa (construída em frente à encosta)", lamentou. Conforme o pedreiro Claudio Patrício de Souza, 45, a quantidade de barro que atingiu a rua foi grande, causando uma enxurrada de lama em direção ao ponto mais baixo do bairro. "Há uns dez anos fizeram um muro na encosta, mas só em parte do barranco. O outro lado continua exposto. Para que a água não entre diretamente na terra, eu mesmo improvisei um cano, há alguns anos, para desviar o curso."

De acordo com a Secretaria de Obras, uma equipe irá nesta quarta-feira (8) até a Rua Melo Franco para avaliar a situação e verificar as providências necessárias. Já no caso do outro ponto, a solução passa pela construção de um muro de encosta. Esta intervenção integra o conjunto de 38 pontos identificados como de risco no município, e que tiveram recursos garantidos pelo Ministério das Cidades. Conforme a pasta, a previsão é de que a obra seja iniciada em 2015 pois, atualmente, o projeto está em análise na Caixa Econômica Federal para futura liberação da verba e o início do processo licitatório.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que o Rio vai conseguir controlar a violência até a Copa do Mundo?