Publicidade

09 de Julho de 2014 - 20:30

Dnit também confirma edital para colocação de acostamentos entre JF e Leopoldina

Por Eduardo Valente

Compartilhar
 

O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) confirmou a expectativa de instalar quatro conjuntos de radares na BR-267 ainda este mês. De acordo com o projeto aprovado, os equipamentos serão colocados em Juiz de Fora, na região do Bairro Retiro, além do perímetro urbano de Bicas, Guarará e Maripá de Minas. Já licitados, adquiridos e com ordem de serviço assinada, os dispositivos só não foram implantados ainda por questões burocráticas, conforme a assessoria de comunicação do departamento. A informação é que a autorização segue em tramitação administrativa em Brasília e pode ser concluída a qualquer momento. No trecho a ser beneficiado, a Tribuna contabilizou nove óbitos apenas este ano em razão de acidentes. Com pista simples e sinuosa, tráfego intenso de veículos pesados e imprudência de condutores, a estrada é considerada perigosa pelos usuários.

Além dos radares, o Dnit informou que será publicado, nos próximos dias, um edital que visa à construção de acostamentos entre Juiz de Fora e Leopoldina. Caso esta previsão seja concretizada, as obras poderão ocorrer ainda este ano, e o objetivo é aumentar o conforto e a segurança dos usuários. Outra novidade confirmada nesta quarta-feira (9) pelo departamento é a remodelação da estrada em todo o perímetro urbano de Bicas, cujo projeto já está pronto, embora ainda não tenha sido licitado. Entre as mudanças previstas está a readequação dos trevos de acesso ao município, considerados perigosos pela comunidade. O alto índice de acidentes no trecho resultou, inclusive, em abaixo-assinado feito pelos moradores e entregue aos representantes do Dnit em Leopoldina, responsável pela estrada a partir daquela cidade.

Conforme a assessoria de comunicação da Prefeitura de Bicas, houve uma reunião no primeiro semestre de 2013 e outra, no início deste ano, sobre a falta de segurança da rodovia para os moradores da cidade. Nas duas ocasiões, representantes do departamento mostraram o projeto de alteração do trevo e a instalação dos radares, informando que estava sendo aguardada a aprovação do processo licitatório. No entanto, a assessoria de comunicação explicou que a administração pública teme pela não contemplação das obras este ano, em razão do período eleitoral e possíveis mudanças administrativas que o departamento poderá sofrer após o pleito.

 

PRF

Para o inspetor Américo Cabral, da 7ª Delegacia de Polícia Rodoviária Federal (PRF) em Leopoldina, tanto a instalação dos radares, como a remodelação dos trevos em Bicas e a implantação de acostamentos são vistas com bons olhos. "A BR-267 é tipicamente urbana, porque liga um grande centro, que é Juiz de Fora, a cidades importantes da região Sudeste de Minas, como Leopoldina, Muriaé e Cataguases. Então o fluxo é muito intenso. Nossa previsão é que, principalmente, os radares resultem em redução de acidentes, registrados com frequência no trecho, como batidas frontais, atropelamentos e colisões envolvendo bicicletas." De acordo com o inspetor, ainda não se sabe qual será a velocidade permitida nos radares, mas ele informou que, em trechos semelhantes, a máxima permitida é de 40 km/h. "Seria o ideal, e, mesmo se for 50 ou 60 quilômetros por hora, teremos um ganho importante."

Sobre os acostamentos, Américo disse que esta é uma demanda da PRF junto ao Dnit, e sua importância está na criação de áreas de escape para os condutores, além da possibilidade de se formar novas faixas em áreas de aclive e declive para que "o usuário se sinta mais protegido".

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você está fazendo pesquisa de preços para controlar o orçamento?