Publicidade

22 de Janeiro de 2014 - 18:01

Suspeita de estelionato diz ter lucrado cerca de R$ 50 mil: "Tudo que eu pagar agora valeu à pena. Fiquei nos melhores hotéis, viajei muito, tudo com o dinheiro disso aí"

Por Marcos Araújo

Compartilhar
 
Com uniforme da Suapi, ela prestou novo depoimento
Com uniforme da Suapi, ela prestou novo depoimento

Tatiana dos Santos Bejani, de 28 anos, voltou, na tarde desta quarta-feira (22), à Delegacia de Santa Terezinha, para prestar mais um depoimento. Usando o uniforme vermelho da Subsecretaria de Administração Prisional (Suapi), uma vez que se encontra presa na Penitenciária Ariosvaldo Campos Pires, ela foi ouvida no cartório da 7ª Delegacia a fim de prestar informações a respeito do inquérito que apura seu envolvimento com estelionatos praticados pela internet, alugando casas de veraneio no litoral do Rio de Janeiro. Tatiana já tinha sido ouvida pelo delegado Eurico da Cunha Neto, ontem, quando confessou a prática do crime e disse que não tinha condições de lembrar de cada caso ou de cada vítima, pois aplicou o golpe contra "muita gente".

Ela também afirmou que atuava sozinha e inventava nomes de outras pessoas, que não existem, para postar na internet, como se elas estivessem em sua companhia. Em determinado trecho do depoimento, Tatiana afirmou: "Lucrei muito e vivi muito. Tudo que eu pagar agora valeu à pena. Fiquei nos melhores hotéis, viajei, tudo com o dinheiro disso aí." Segundo o depoimento, ela iniciou os golpes em 2009, após ver na televisão uma reportagem sobre esse tipo de estelionato e que, desde então, teria lucrado "uns R$ 50 mil".

O delegado Eurico da Cunha explicou que, embora o crime tenha ocorrido no estado do Rio, a vantagem financeira se deu em Juiz de Fora, por isso a investigação será realizada aqui. Conforme Eurico, durante o depoimento, ela não aparentou arrependimento e se mostrou muito tranquila, tendo questionado apenas o porquê de ter sido presa, apesar de confessar os crimes. "Já fomos procurados por outras pessoas, via telefone ou via internet, que possivelmente foram vítimas do golpe. Nossa orientação é que essas pessoas venham à delegacia. Aquelas que não registraram ocorrência na época, podem registrar agora, contanto que tenham o mínimo de provas para apresentar. Assim, vamos aproveitar que ela está presa e vamos ouvi-la, para prestar informações sobre novos casos", destacou o delegado.

Tatiana Bejani foi presa ontem depois de uma denúncia anônima feita ao 190 da Polícia Militar. Ela tinha dois mandados de prisão abertos contra ela. A filha do ex-prefeito Alberto Bejani foi localizada por policiais em um salão de cabeleireiro no Centro. No momento de sua abordagem, ela teria se apresentado com outro nome, mas foi identificada por meio da fotografia de um "santinho", datado de 2004, ano no qual ela se candidatou a vereadora da cidade. Ainda como disse o delegado Eurico Cunha, se condenada pelo crime de estelionato, ela pode pegar de um a cinco anos de prisão. "Como é um crime continuado, a pena pode ser acrescida de um terço a dois terços."

Em um dos casos no qual ela é investigada, encaminhado pela 19ª Delegacia da Tijuca, um homem, de 51 anos, foi vítima depois de ver o anúncio num site. Ele teria feito um depósito no valor de R$ 1 mil referente ao aluguel de uma casa, para o passar o Réveillon em Cabo Frio, na Região dos Lagos. Porém, depois do valor pago, a vítima constatou que o imóvel não existia.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você tem percebido impacto positivo das operações policiais nas ruas da cidade?