Publicidade

13 de Novembro de 2012 - 07:00

Crimes, com violência extrema, aconteceram em intervalo inferior a 24 horas

Por Sandra Zanella

Compartilhar
 

O número de homicídios tem aumentado de forma vertiginosa em Juiz de Fora. Só no último fim de semana mais três assassinatos foram registrados em diferentes regiões da cidade, elevando para 78 o total de mortes violentas em 2012, conforme levantamento da Tribuna. A soma já é 50% maior do que a de todo o ano passado, quando houve 52 casos. Na tarde de domingo, um homem, 38 anos, foi baleado e teve o corpo queimado em via pública no Bairro São Benedito, Zona Leste. O crime em plena luz do dia na Rua Araxá chamou a atenção pela extrema violência. Quando os policiais chegaram ao local, populares já haviam colocado um cobertor molhado sobre Washington Rocha Teixeira, na tentativa de apagar as chamas, mas ele não resistiu aos ferimentos e morreu. Segundo a PM, o suspeito do crime seria um jovem, 20, que estaria querendo namorar a filha de Washington, contra a vontade dele. A polícia não conseguiu identificar pessoas que teriam presenciado a ação criminosa. Peritos realizaram os levantamentos, mas não foi possível detectar perfurações causadas por tiros no cadáver, que apresentava lesão na boca e queimaduras nas pernas, braços e tórax. O corpo foi levado para necropsia no Instituto Médico Legal (IML).

Ainda conforme a PM, a companheira da vítima, 37, relatou que estava em casa, na Rua Agilberto Costa, no mesmo bairro, quando foi avisada por vizinhos de que o marido tinha sido morto em via pública. Ela informou aos militares que a motivação do homicídio estaria ligada a uma ocorrência registrada no dia anterior. Na ocasião, a vítima teria agredido e machucado a mãe do suspeito de matá-lo, uma mulher de 38 anos. O motivo da agressão seria o fato de Washington não permitir o namoro da filha dele, 15, com o jovem.

De acordo com o boletim de ocorrência, a mulher disse ter sido puxada pelos cabelos depois de discutir com o homem, que teria ameaçado o filho dela de morte. Ela teria arranhado o braço do agressor em um muro de chapisco para ser solta e, quando conseguiu se desvencilhar, ele teria jogado uma pedra na direção dela, causando um ferimento nas costas. Com a aproximação de uma viatura policial, o homem teria tentado dispensar duas facas usadas nas ameaças. No dia, Washington chegou a ser conduzido à delegacia, sendo liberado.

Na manhã de ontem, enquanto aguardava a liberação do corpo no IML, o pai da vítima, Ivan Pedro Teixeira, 58, contou que o filho era pintor de automóveis e deixou quatro filhos. No dia do assassinato, teria ido visitar parentes. "Ele estava morando no Ladeira com a mãe, mas ainda tinha família no São Benedito. Quando chegamos lá, ele já estava morto, mas sabemos muito pouco sobre o que aconteceu." O suspeito não foi localizado, e o caso seguiu para investigação na 5ª Delegacia de Polícia Civil.

Na Zona Sul

Também na tarde de domingo, um homem não identificado foi morto no Bairro Cidade Jardim, Zona Sul. Ele chegou a pular do terceiro andar de uma construção para escapar de tiros, mas acabou sendo assassinado. Conforme a PM, por volta das 13h30, o corpo foi localizado na porta de uma obra abandonada na Rua Doutor Agapio Vaz de Melo. A vítima foi atingida com três balas, nas costas, peito e antebraço esquerdo, e tinha sangramento no nariz, além de várias escoriações pelo corpo. Um morador da via, 42, foi quem acionou a PM. Ele contou aos policiais que estava passando pela rua, quando escutou um barulho de disparo vindo de dentro da obra. Ele afirmou ter visto a vítima pulando da sacada do terceiro pavimento da construção, caindo na via. Em seguida, um criminoso, que portava uma arma prateada e usada camisa de time de futebol, teria surgido na mesma varanda e atirado na direção do homem no chão. Temendo pela sua segurança, o morador foi para casa e disse suspeitar de que o atirador teria fugido pelos fundos por um terreno baldio. Ninguém foi preso.

A perícia esteve no local para realizar os trabalhos de praxe e recolheu sete cápsulas de pistola calibre 380. Três delas estavam próximas ao corpo, e outras quatro no cômodo da construção de onde a vítima teria pulado. O corpo foi levado para necropsia no IML. Segundo a PM, o homem era negro, com 1,75m de altura, e aparentava ter cerca de 30 anos. No antebraço direito dele havia uma tatuagem com o nome "Natalia". A vítima usava blusa de malha vermelha, bermuda cinza com cinto preto e chinelo roxo. O titular da 1ª Delegacia de Polícia Civil, José Márcio Carneiro, abriu inquérito ontem para apurar o homicídio.


Tiro à queima-roupa dentro de bar

O terceiro homicídio registrado no último final de semana aconteceu na noite de sábado no Bairro São Judas Tadeu, Zona Norte. Por volta das 22h30, um homem, que usava touca e capacete, invadiu o estabelecimento, na Rua Ernesto Pancini. Ele disparou um tiro à queima-roupa contra a cabeça de Daniel Jonas Gonçalves Mattos, 23 anos, e fugiu. O rapaz morreu na hora. O óbito foi constatado pelo Samu. Peritos realizaram os levantamentos, e o corpo foi levado para o IML. Na casa da vítima, no Bairro Santa Cruz, mesma região, a PM apreendeu um tablete de maconha, balança eletrônica, além de materiais usados para embalar entorpecentes. Militares fizeram rastreamento na tentativa de capturar o assassino, mas nenhum suspeito foi encontrado.


Mais violência

Além dos três assassinatos, duas tentativas de homicídio também foram registradas no final de semana. Uma delas aconteceu na noite de sábado na Zona Norte. Por volta das 22h, um rapaz, 19, procurou ajuda em um bar da Rua Vila Vidal, no Jóquei Clube, depois de ter sido esfaqueado em via pública. Segundo a PM, o jovem foi encontrado sentado no chão do estabelecimento, com duas perfurações no tórax e abdômen. Ele contou aos militares que seguia pela rua, quando teria se deparado com uma gangue do Jardim Natal. Ao se aproximar, o grupo disse que iria matá-lo e desferiu golpes de faca contra ele. A vítima teria chegado ao bar correndo e sangrando muito. O proprietário acionou o Resgate e teria visto um bando correndo em direção à linha férrea. Nenhum suspeito foi localizado. A vítima foi socorrida até a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Norte. Segundo a assessoria da Secretaria de Saúde, o paciente foi transferido para o Hospital de Pronto Socorro (HPS) e ficou internado na sala de urgência, mas estava lúcido, estável e orientado.

Já na tarde de sábado, um homem, 30, foi esfaqueado na Rua Diogo Álvares, em Benfica. A vítima disse aos policiais que foi golpeada pelas costas, sem chance de defesa, quando caminhava pela via. O criminoso seria um morador do bairro vizinho, que não foi encontrado. O homem teve perfuração no lado direito do pulmão e foi internado na UPA de Benfica. O suspeito não foi encontrado. Os três crimes ocorridos na Zona Norte serão investigados pela 3ª Delegacia de Polícia Civil.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você já presenciou manifestações de intolerância religiosa?