Publicidade

05 de Junho de 2014 - 11:57

Ação reuniu Promotoria, Câmara e Secretaria de Saúde

Por Tribuna

Compartilhar
 
Medicamentos foram transferidos para Santa Luzia
Medicamentos foram transferidos para Santa Luzia

 Atualizada às 22h08

A empresa Unihealth Logística Ltda, responsável pelo estoque de medicamentos e insumos públicos de Juiz de Fora, passou nesta quinta-feira (5) por uma nova vistoria, que resultou em um auto de inspeção. A ação, que reuniu integrantes da Comissão de Saúde do Legislativo, da Secretaria de Saúde e do Ministério Público, aconteceu uma semana depois da interdição cautelar da Vigilância Sanitária Municipal no galpão da empresa na Avenida Itamar Franco, Bairro São Mateus, Zona Sul. Na época, foram localizadas caixas de medicamentos e insumos armazenadas de forma inadequada. 

"A Unihealth reconhece o erro e deve tomar todas as providências. A responsabilidade financeira é da empresa imediata, sendo assim, qualquer prejuízo que tenha havido, ela assumirá", assegura o promotor de Saúde, Rodrigo de Barros. Os itens que estavam no galpão permanecem isolados em um espaço de quarentena na sede oficial da Unihealth, na Rua Ibitiguaia, Bairro Santa Luzia, Zona Sul. Estes produtos passarão por uma análise que apontará quais devem ser descartados. 

De acordo com o chefe da Vigilância Sanitária Municipal, Lucas França, ainda será realizada uma análise mais detalhada dos documentos da Unihealth, sendo assim, o laudo técnico final da Vigilância Sanitária será concluído nos próximos dias. Ele afirma ainda que um auto de infração será lavrado, e a empresa deve responder a processo administrativo. "A Unihealth precisa garantir que os produtos que eles vão dispensar não irão causar danos a quem utilizá-los", observa Lucas. Rodrigo Barros também informa que, em um prazo de 90 dias, será realizada mais uma inspeção na empresa. "Temos que acompanhar o fluxo desse sistema. Essa é a grande questão. A visita já está agendada, e o compromisso é de que todos os pontos sejam adequados", conclui. 

Na tarde desta quinta, o presidente da Câmara Municipal, Julio Gasparette (PMDB), e outros vereadores visitaram a sede da empresa, no Bairro Santa Luzia. "O galpão é de primeira linha com câmeras frias. O material está muito bem armazenado. Fiquei muito satisfeito. Agora, vamos esperar o resultado da distribuição. Em cada unidade de saúde, haverá um funcionário da empresa controlando o estoque para que não haja falta de medicamento", contou Gasparette.

 

Remessa provisória

A diretora comercial da Unihealth, Carolina Videira, argumenta que o galpão de São Mateus foi alugado para guardar uma remessa provisória por um período de 15 dias, enquanto eram finalizadas as adequações na sede oficial, em Santa Luzia. De acordo com assessoria de imprensa do empreendimento, a central, situada em São Paulo, não tinha conhecimento da locação do galpão. "Na verdade foi um erro humano que a empresa assumiu. Tanto a empresa quanto a Prefeitura sabiam que esses produtos deveriam ser alocados em um lugar paralelo para podermos nos organizar, mas não naquelas condições. A questão toda foi em relação ao espaço encontrado." Ainda segundo a assessoria, o funcionário que estava gerindo essa operação escolheu o imóvel por conta própria sem informar à empresa.  

Após o período de adequação, as mudanças feitas pela empresa serão verificadas e, se aprovadas, a Unihealth, além da estocagem dos medicamentos e insumos, também será responsável pela distribuição dos produtos no município.

 

 

Mudanças na logística 

 

Durante as vistorias realizadas nesta quinta no galpão e na sede da Unihealth, a diretora comercial da empresa, Carolina Videira, apresentou o sistema informatizado utilizado para o cadastro e monitoramento dos itens. A secretária-adjunta de Saúde, Maria Aparecida Martins Baeta, afirma que, com essa nova operacionalidade, será possível definir a quantidade de produtos a serem comprados. "A partir do momento em que a gente tem um rastreamento dos medicamentos dispensados, estaremos capacitados a fazer as compras da melhor maneira. Cada ponto de distribuição será monitorado em tempo real, assim saberemos o que está sendo consumido", afirma. 

Ela também afirma que, apesar de o sistema ainda estar em fase de implementação, o Município não enfrenta prejuízos significativos. "Nesse momento de transição, na medida em que as unidades nos solicitam, estamos dispensando. Houve um pequeno momento de defasagem, mas estamos fazendo a distribuição em curto prazo. A unidade nos solicita na segunda-feira, por exemplo, e, até a quarta-feira, nós entregamos."

O promotor de Saúde, Rodrigo de Barros, ressalta que hoje o grande problema vivenciado no Município é o sistema de compras. "Às vezes, você tem a falta do produto não porque a empresa deixou de entregar, mas porque não recebeu pela Prefeitura, por diversos motivos. Pode ser que a empresa fornecedora não tenha entregado ou o processo de compra tenha sido lento", analisa Barros. Neste sentido, durante a visita, houve a proposta de realização de um encontro na Câmara Municipal, com a presença do promotor, da Comissão de Saúde da Câmara Municipal, das secretarias de Saúde e de Governo da Prefeitura, além de técnicos da Unihealth. "Vamos discutir a possibilidade de uma maior autonomia por parte da Secretaria de Saúde para fins de compras. A pasta teria uma comissão permanente de licitação para dar uma agilidade absoluta. Não é minimamente razoável que você pense que uma compra de medicamentos concorra com a de material de escritório, por exemplo", observa o promotor.

Ainda segundo Rodrigo Barros, é necessário que haja um envolvimento expressivo entre todas as partes do sistema de saúde. "O contrato firmado com a empresa atual demanda que todas as pontas de logística sejam adequadas. Não adianta, por exemplo, você ter a empresa funcionando perfeitamente se a compra não é feita em tempo ou se a unidade básica não tem um farmacêutico que possa garantir a dispensação daquele medicamento em condições adequadas. Temos que trabalhar para que todas essas questões sejam organizadas", finaliza o promotor.  

Nesta quinta-feira, foi publicada no Atos do Governo a nomeação de membros da Comissão Especial para Auditoria e Acompanhamento do contrato celebrado com a Unihealth e a Prefeitura, com interveniência da Secretaria de Saúde.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você aprova o retorno de Dunga para o comando da Seleção Brasileira?