Publicidade

30 de Junho de 2014 - 10:34

Fato foi registrado na noite de sábado(28). Vidros foram quebrados e pacientes e funcionários, agredidos

Por Tribuna

Compartilhar
 
Pedra do calçamento foi lançada contra uma porta
Pedra do calçamento foi lançada contra uma porta

Atualizada às 12h11

Agressões a funcionários e pacientes acompanhados de atos de vandalismo interromperam o funcionamento da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Santa Luzia, neste final de semana, na Zona Sul de Juiz de Fora. O caso de violência aconteceu por volta das 22h deste sábado (28), quando parentes de um idoso ficaram inconformados com a atenção dada ao homem, de 74 anos, que estaria sentado em uma cadeira por falta de leito. Ainda de acordo com informações do boletim de ocorrência registrado pela Polícia Militar, familiares do paciente iniciaram uma discussão com funcionários alegando que o idoso não estava sendo bem cuidado. Em seguida, uma mulher, 27, pulou o balcão da recepção, entrando nas enfermarias, enquanto, um jovem, 20, arremessou um paralelepípedo do calçamento contra uma das portas da unidade, que teve seu vidro estilhaçado.

Outros parentes do idoso também teriam invadido a UPA. Na confusão, pelo menos três pacientes foram agredidos, e funcionários teriam sido ameaçados com bancos e suportes de soro. Alguns assentos ainda teriam sido arremessados contra as enfermarias. Quando os policiais chegaram ao local, os suspeitos de agressão e vandalismo já haviam deixado a unidade e não foram localizados. Militares fizeram contato com a nora do idoso e mãe da mulher que teria pulado o balcão. Ela contou que a filha teria ficado nervosa com o fato de o paciente estar sentado em uma cadeira e com a falta de informação. A mãe disse que, depois de transpor o móvel, a mulher foi agarrada pelo pescoço por funcionários e que, diante da situação, seu filho arremessou a pedra contra a porta.

Um enfermeiro, no entanto, afirmou à PM que, antes da confusão, havia chamado os familiares do paciente e explicado a eles que o mesmo estava sendo bem cuidado. O funcionário confirmou que o idoso estava em uma cadeira à espera de um leito, mas que ele seria transferido assim que houvesse vaga. Segundo trabalhadores da UPA, a unidade teria ficado fechada até às 18h do domingo (29), dia seguinte ao ocorrido. 

Em nota, a Secretaria de Saúde informou, no final da manhã desta segunda-feira (30), que a agressão partiu de um usuário que estava internado. O órgão ainda comunicou que a Justiça será acionada para que o homem seja responsabilizado pelos seus atos.

A Secretaria de Saúde informa que o atendimento ficou restrito a casos de urgência e emergência, no período citado (12 horas) devido às atitudes intempestivas e agressivas promovidas pelo usuário que estava internado aguardando por uma transferência para uma unidade que pudesse fazer a pesquisa de uma suspeita de tuberculose. A transferência aconteceu dentro um período que segue as premissas do protocolo médico, já que o caso não era de extrema urgência. A transferência aconteceu às 13h de domingo para o Hospital João Penido. A administração da UPA e a Secretaria de Saúde vão acionar a Justiça para que o o usuário seja responsabilizado pelos seus atos. A integridade física dos usuários foi garantida pela presença da Guarda Municipal e da Policia Militar.

 

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você já presenciou manifestações de intolerância religiosa?