Publicidade

05 de Maio de 2014 - 21:05

Departamento de Saúde da Criança estava sem doses nesta segunda-feira (5)

Por Tribuna

Compartilhar
 
Usuários retornaram nessa segunda e pegaram fila
Usuários retornaram nessa segunda e pegaram fila

A Campanha Nacional de Vacinação segue até o próximo dia 9, mas pessoas que fazem parte do público-alvo reclamam da dificuldade de imunização em algumas unidades centrais. Nesta segunda-feira (5), a Tribuna não encontrou as vacinas no Departamento de Saúde da Criança e do Adolescente, no Centro. A informação era de que o estoque havia acabado na última sexta-feira, por volta das 17h. Segundo uma das funcionárias, que preferiu não se identificar, um novo pedido foi realizado no mesmo dia, contudo, não houve distribuição de novas vacinas nesta segunda.

Daniela Silvia esteve no departamento nesta segunda-feira, por volta das 16h, mas retornou sem conseguir a vacinação para a filha de 11 meses. A informação no local é de que não é realizado um pedido com um número fixo de vacinas, pois o setor atende pacientes de toda a cidade. Desde o início da campanha, havia sido distribuído um total de 700 doses no setor. De acordo com a assessoria de comunicação da Secretaria de Saúde, a falha foi de um dos funcionários do departamento, pois, na rota de distribuição desta segunda-feira, não constava pedido para esse local.

Usuários também reclamam que houve falta do estoque na Unidade de Atenção Primária à Saúde (Uaps) Centro Sul, localizada na Avenida Rio Branco, no Alto dos Passos. Pelo menos quatro idosos ouvidos pela reportagem disseram que procuraram esta Uaps em dias diferentes, sem conseguir se imunizar. Nesta segunda, porém, quando o jornal esteve no posto, por volta das 15h, a vacinação estava sendo realizada. Mas idosos presentes disseram que estavam no local pela segunda ou até terceira vez, a fim de serem vacinados, já que, nos demais comparecimentos, não havia vacinas disponíveis. Petrina Fernandes, 84 anos, conta que esteve na Uaps duas vezes na semana passada, uma delas na sexta-feira, por volta das 15h30, e não foi possível fazer a imunização. Chafiha Salomão, 60, e Antoinette Felippe, 83, também não conseguiram ser vacinadas na última sexta-feira. O problema também foi denunciado em outros dias. Coraci Carneiro, 66, diz ter ido ao local na segunda-feira, dia 28 de abril, quando enfrentou a mesma situação. Além disso, algumas pessoas desistem da vacinação, por conta da fila extensa. Maria da Glória, 61, retornou à Uaps nesta segunda-feira no período da tarde, pois, segundo ela, durante a manhã, a fila a desanimou.

A chefe de enfermagem da Uaps Centro Sul, Raquel Maria da Fonseca, assegura que são distribuídas na unidade 500 vacinas diárias. De acordo com Raquel, há dias em que as vacinas não são suficientes, assim, novos pedidos são realizados, os quais demoram entre 20 e 30 minutos para serem atendidos. "A demanda está muito grande. Se acontece de acabar no período da manhã, nós pedimos que a pessoa retorne à tarde. Caso haja término na parte da tarde, solicitamos que voltem no outro dia. Mas essa quantidade de vacinas já é muito alta se comparada com a de outras unidades." Ainda segundo a assessoria de comunicação da Secretaria de Saúde, não há falta de vacinas no município e que, até a última sexta-feira, foram aplicadas 40.566 vacinas em Juiz de Fora. Na cidade, cerca de 138 mil pessoas compõem o grupo prioritário, formado por crianças de 6 meses a 5 anos incompletos, idosos, gestantes, mulheres que deram à luz há até 45 dias, doentes crônicos e acamados, além de profissionais da área de saúde.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você confia nas pesquisas eleitorais?