Publicidade

16 de Abril de 2014 - 21:27

Por Tribuna

Compartilhar
 
Caminhão não conseguiu subir a ladeira, que proíbe circulação de veículos acima de 3,5 toneladas
Caminhão não conseguiu subir a ladeira, que proíbe circulação de veículos acima de 3,5 toneladas

Mais um acidente envolvendo um caminhão na Alameda Ilva Mello Reis, que liga os bairros Santo Antônio e Retiro, foi registrado na noite de terça-feira (15). O veículo que transportava óleo diesel não conseguiu subir a ladeira e, por isso, ficou atravessado na pista. Depois de dez horas, um guincho foi usado para retirar o caminhão. O motorista foi autuado por transitar em horário/local não permitido por regulamentação estabelecida, com infração média e multa de R$ 85,13.

O problema envolvendo o tráfego de veículos pesados na via é recorrente. A proibição no trecho está sinalizada nos dois extremos da passagem. No sentido Retiro/Centro, a circulação de veículos acima de 3,5 toneladas é proibida. No Bairro de Lourdes sentido Floresta, o limite é de até 4,5 toneladas. A alternativa dos motoristas é seguir pela rodovia União e Indústria.

Moradores e motoristas dos bairros do entorno reclamam do desrespeito dos condutores. "Vejo todos os dias caminhões acima da capacidade subindo a via. Acho muito perigoso, eles trafegam em alta velocidade", desabafa a auxiliar de produção Vanessa Efigênia da Silva, 27 anos. O operador de pasteurizador Reinaldo Paschoal da Silva, 29, usa a alameda todos os dias para ir trabalhar."Tem carreta que não consegue subir e faz o retorno na outra entrada do Jardim Esperança. A área já virou espaço de manobra." O comerciante Luiz Lauro de Andrade, 63, ainda completa. "Depois que fizeram a ligação com a alameda, os caminhões deixaram de usar o acesso pela Vila Ideal. Acham o trecho mais curto e rápido."

De acordo com o chefe do Departamento de Fiscalização de Transporte e Trânsito da Settra, Paulo Peron Junior, não há como manter uma fiscalização permanente no local. "São diversos logradouros a serem fiscalizados. Os infratores vão continuar existindo, enquanto não mudar a conduta, o comportamento das pessoas." Peron afirma que os locais onde há mais reclamações servem como alerta. Assim, diante das reclamações dos usuários, nos próximos dias, a fiscalização irá atuar na via de forma mais intensiva. "Se tiver sendo cometida uma infração naquele momento, a forma mais imediata de acionar a fiscalização é ligando para a central de operações dos agentes, 3690-7400."

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você aprovou a seleção convocada por Dunga?