Publicidade

04 de Julho de 2014 - 21:12

Por Nathani Paiva

Compartilhar
 
Mas sorrisos deram espaço para as lágrimas; Oscar Palacio, de 27 anos, não conseguiu conter o choro
Mas sorrisos deram espaço para as lágrimas; Oscar Palacio, de 27 anos, não conseguiu conter o choro
Grupo se mostrava confiante antes do apito final
Grupo se mostrava confiante antes do apito final

O bar Poleiro do Galo, no Bairro São Mateus, foi o ponto de encontro de um grupo de amigos colombianos. Eles moram em Juiz de Fora e se reuniram para acompanhar a partida desta sexta-feira (4), e engana-se quem pensa que os visitantes se intimidaram com a presença dos torcedores brasileiros. Eles eram minoria no estabelecimento, mas conseguiram mostrar o amor que sentem pela seleção da Colômbia.

Bebericando uma caipirinha, Cristina Fuentes, 28 anos, era uma das mais animadas. Ao mesmo tempo que vibrava a cada lance dos jogadores do seu país, ela também admitia o favoritismo do Brasil. "Meu coração está dividido. Todos me receberam tão bem aqui. Ficarei feliz com a vitória de qualquer um das duas equipes." Já Mathusalém Pantevis, 34, só queria saber de festa. O sorriso que estava estampado em seu rosto começou a se apagar depois do primeiro gol da Seleção Canarinho. "Vamos ganhar. Temos que acreditar", disse, confiante.

A Colômbia estava há 16 anos sem participar de uma Copa, e esta foi a primeira vez que conseguiram chegar às quartas de final. A campanha da equipe neste Mundial foi motivo de muitas alegrias. "Hoje foi decretado feriado nacional no meu país. É uma honra nos ver em um campeonato tão importante. Não conseguimos explicar nossa emoção", relatou Carlos Alberto Moreno, 37, que está morando em Juiz de Fora há cerca de quatro meses. José Vilar, 31, também era só felicidade. "Independente do resultado hoje, é dia de festa na Colômbia."

No segundo tempo da partida, uma luz no fim do túnel: dois gols do time adversário do Brasil. Um deles, porém, foi anulado. O dia era mesmo do Brasil. Com a desclassificação do seu país da Copa, Oscar Palacio, 27, não conseguiu conter as lágrimas. "O time não jogou como nas outras partidas. Quem sabe não conseguimos na próxima", lamentou.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que campanha corpo-a-corpo ainda dá voto?