Publicidade

07 de Junho de 2014 - 07:00

Por Nathália Carvalho

Compartilhar
 
Dom Gil explica objetivo da mobilização; veja o vídeo
Dom Gil explica objetivo da mobilização; veja o vídeo

A Copa do Mundo no Brasil vai contar com apoio extra durante sua realização. Antes do apito inicial, fiéis de todo o país pretendem realizar uma vigília de oração para que tudo corra bem durante a competição. O momento acontece na próxima quarta-feira (11), véspera da abertura do Mundial. O principal objetivo, segundo o arcebispo metropolitano da Arquidiocese de Juiz de Fora, dom Gil Antônio Moreira, é pedir para que seja uma época de paz, e não de conflitos. A proposta partiu do movimento Fé, Justiça e Paz, criado pelo arcebispo juntamente com outros líderes religiosos durante o período de manifestações no país, em agosto do ano passado.

Para dom Gil, há uma grande preocupação dos brasileiros com relação aos possíveis protestos e violência durante a Copa. "Vamos pedir que essas manifestações não revertam o clima de fraternidade e hospitalidade do país. De forma espontânea, convidamos as pessoas a estender uma bandeira branca na janela de suas casas, e pedimos que elas façam orações, jejum e peçam a Deus para que haja paz." Além disso, o religioso explica que, durante a competição, as missas celebradas aos domingos vão manter o pedido de tranquilidade. "Queremos que os estrangeiros e brasileiros que irão aos jogos fiquem seguros. Mesmo que a pessoa não tenha fé, que cultive o clima humanitário, de confraternização entre os povos."

 

Papa argentino

Amante do futebol, o Papa Francisco traz o peso de torcer para um dos principais rivais brasileiros na competição, a Argentina. Contudo, em tom de humor, o arcebispo não acredita que isso poderá influenciar o resultado em campo. "O Papa não tem rivalidade. Naturalmente, vamos torcer para o Brasil, e ele, para a Argentina, mas independente dos resultados dos jogos, nossas preces serão sempre em pedido de paz." E dom Gil ainda acrescenta que tudo será tratado de uma forma saudável entre o chefe do Vaticano e os fiéis. "Não é uma benção do Papa que vai fazer a Argentina ganhar. Não acho que Deus terá preferência", brinca.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que a realização de blitze seria a solução para fazer cumprir a lei que proíbe jogar lixo nas ruas?