Publicidade

10 de Junho de 2014 - 07:00

Colecionadores aficionados pelas seleções internacionais juntam pequenos tesouros em suas casas

Por Nathani Paiva

Compartilhar
 
Wilde Carneiro tem mais de três mil DVDs de jogos das Copas do Mundo
Wilde Carneiro tem mais de três mil DVDs de jogos das Copas do Mundo
Tiago Sarmento é fanático por camisas de seleções
Tiago Sarmento é fanático por camisas de seleções

Mais de três mil DVDs de jogos das Copas do Mundo de 1966 a 2010 estão guardados a sete chaves na residência do juiz-forano Wilde José Carneiro, 53 anos. A coleção começou a ser feita em 2007, após ele descobrir na internet uma pessoa do estado de São Paulo que forneceu imagens de algumas partidas históricas. Wilde conta que, primeiramente, adquiriu os jogos da Seleção Brasileira. Depois, o interesse em gravações dos torneios da Fifa foi aumentando. O colecionador conta que trocar e comprar os jogos do maior evento de futebol do mundo tornou-se rotina em sua vida nos últimos sete anos. "Me apaixonei pelo futebol quando ainda era criança, na Copa de 1970. Mas, foi em 1974, assistindo aos jogos da seleção da Holanda, que comecei a gostar mais ainda do esporte."

Aos finais de semana, Wilde dedica boa parte do seu tempo livre em frente à televisão. "Sento no sofá e começo a rever as partidas. Tenho os jogos inéditos da seleção de Israel, em 1970, que se classificou apenas uma única vez para a Copa. O colecionador diz que nunca pensou em vender as relíquias. "Alguns jogos eu mesmo gravei. Outros, adquiri através de compra ou troca. Estimo que já gastei cerca de R$ 25 mil com essa coleção", frisou.

Além dos jogos, Wilde também possui mais de 150 livros relacionados à Copa do Mundo. " A obra 'Futebol total', de Johan Cruyff, é o meu preferido, pois o livro relata como surgiu a seleção holandesa de 1974, que, na minha opinião, é a melhor de todos os tempos ." Este ano será especial para Wilde, pois ele já está com o ingresso nas mãos para assistir a final da Copa no Maracanã. "A paixão pelo futebol sempre fala mais alto.Estou torcendo para o Brasil estar na final. Quero presenciar esse momento histórico. Além disso, já estou planejando gravar os outros jogos do Mundial".

 

Enrolado

Wilde Carneiro é apenas um dos diversos colecionadores espalhados pelo mundo e que têm na Copa e nas seleções internacionais o principal foco de seu hobbie. O educador físico Alessandro Pedretti, 35, é outro. Ele expõe na parede da sala de sua casa 25 cachecóis de seleções, comumente usados pelos torcedores do Velho Continente. "Na Europa, por causa do frio, é muito comum ver as pessoas nos estádios usando cachecóis. É como se fosse o manto sagrado do time. Os meus foram adquiridos durante os sete anos em que morei fora do Brasil. Alguns foram presentes, como o da República Tcheca e o de Portugal. A regra para entrar na coleção é que eles sejam comprados no país de origem."

O objetivo mais imediato do músico e publicitário Tiago Sarmento, 29, fanático por camisas de seleções, é adicionar à sua coleção o uniforme que o time nacional da Croácia irá usar na Copa do Mundo do Brasil. "Tenho mais de 30 peças de seleções. Comecei a colecionar na França, quando fui assistir à final do Mundial de 1998. As camisas simbolizam a história dos países. Para mim, é muito interessante entender o seu design. No uniforme da Croácia, por exemplo, os quadriculados vermelho e branco representam os reis. Já as cores da camisa da Jamaica mostram a alegria desse país." Tiago é tão interessado pelo assunto que está preparando um artigo acadêmico sobre a semiótica da comunicação nas camisas de futebol. Vesti-las, só em ocasiões especiais. E lavar, só à mão. "É como se fossem um bem", diz o músico sobre suas preciosidades.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você está evitando contrair dívidas maiores em função da situação econômica do país?