JF. sexta-feira 20 jan 2017
OUÇA AGORA
Publicidade
5 de janeiro de 2017 - 18:50

“Cozinhar também é um ato de amor”

Grupos unem voluntários para trabalhar em prol de pessoas em situação de rua
Por Michele Meireles

O “Bem JF” dessa semana conta a história de dois grupos de voluntários que trabalham em prol de pessoas em situação de rua de Juiz de Fora: o Elos do Bem JF e a Fundação Maria Mãe. São pessoas de todas as idades, profissões e religiões unidas para um só objetivo: fazer o bem e levar amor para aqueles que precisam. Os dois grupos estão precisando de voluntários e doações. Saiba como você também pode participar.

 

Elos do Bem

Um anúncio em um grupo de compra e venda no Facebook motivou dezenas de pessoas a se reunirem e formarem um grupo de voluntários. De acordo com uma das voluntárias, Amanda Borges, após a publicação de uma das participantes, em abril de 2015, uma corrente do bem teve início. “Esta pessoa, que é uma de nossas voluntárias, fez um post neste grupo perguntando se alguém conhecia uma instituição ou pessoa que ajudasse moradores de rua. Em pouco tempo, dezenas de pessoas comentaram e demonstraram interesse em ajudar. Então, juntamos estas pessoas e formamos nosso grupo”, disse.

O Elos do Bem JF, ajuda semanalmente entre 100 e 120 pessoas em situação de rua. O grupo, que tem 67 participantes, entre eles 20 que atuam mais ativamente, reúne-se todas as quartas-feiras, prepara um jantar e sai pelas ruas para levar os alimentos às pessoas que vivem nas ruas. “Nós fazemos tudo: desde a arrecadação das doações de alimentos, a preparação da comida e a entrega. Acredito que cozinhar é também um ato de amor”, diz Amanda.

Elos do Bem JF, ajuda semanalmente entre 100 e 120 pessoas em situação de rua (Foto: Divulgação)

Elos do Bem JF, ajuda semanalmente entre 100 e 120 pessoas em situação de rua (Foto: Divulgação)

Segundo ela, o grupo já tem uma rota de entrega, locais onde há mais pessoas em situação de rua na cidade. “Sempre que possível, tentamos fazer um cardápio diferente, com comidas que estas pessoas não têm acesso, como um estrogonofe e feijoada”, comentou. De acordo com a voluntária, até o momento, nenhuma empresa doa alimentos ou gás. Tudo que é preparado, é doados pelas pessoas do grupo. Os alimentos são feitos na cozinha da quadra da escola de samba Unidos do Ladeira.

“Qualquer um que está disposto a colocar a mão na massa é bem-vindo e pode integrar nosso grupo. Como não temos um lugar para estocar os alimentos, vamos arrecadando semanalmente”, comentou. Quem quiser fazer parte do “Elos do Bem JF” ou doar alimentos e outros produtos, basta entrar em contato pelo telefone (32)3084-4666 ou pelo Facebook.

 

Fundação Maria Mãe

Criada há 32 anos pela irmã Mônica, uma religiosa francesa que veio para Juiz de Fora e se sensibilizou com a causa, a Fundação Maria Mãe tem mais de mil pessoas em situação de rua cadastradas e sobrevive apenas de doações. Por dia, são mais de cem atendimentos, que incluem distribuição de café da manhã, roupas, além de assistência odontológica, psicológica e de assistentes sociais. Os assistidos ainda podem participar de palestras e evangelizações, lavar suas roupas no local e tomar banho.

Fundação Maria Mãe realiza mais de cem atendimentos, que incluem distribuição de café da manhã, roupas, além de assistência odontológica, psicológica e de assistentes sociais (Foto: Divulgação)

Fundação Maria Mãe realiza mais de cem atendimentos, que incluem distribuição de café da manhã, roupas, além de assistência odontológica, psicológica e de assistentes sociais (Foto: Divulgação)

Apesar de ser uma instituição católica, ligada aos Pequeninos de Jesus, o grupo não faz discriminação de pessoas ou religião que tenham o mesmo propósito de ajudar aos que necessitam. Hoje temos cerca de 50 voluntários que ajudam na instituição. “Partilhamos amor, esperança e caridade. Na nossa fundação, cuidamos das pessoas em situação de rua e damos a elas uma condição mais digna para viver, buscando ajudá-las a encontrar um novo caminho para suas vidas,” diz a página do grupo no Facebook.

De acordo com a presidente da Fundação, Vanessa Maria Sarnezi, o local, que fica na Rua 31 de Maio, no Bairro Ladeira, Zona Leste, funciona de segunda a sexta-feira, de 6h30 as 16h. “A maiorias das pessoas que vêm até nós são cadastradas. Mas recebemos aqui quem também não tem o cadastro. Quando um pequenino – modo que chamamos as pessoas em situação de rua – quer sair da rua nós o ajudamos com tudo para montar um lar e mudar de vida. E tudo isso só é feito através das doações que recebemos”, disse.

De acordo com ela, a fundação precisa mais urgentemente de roupas masculinas, materiais de limpeza e voluntários para trabalhar na triagem de roupas que são doadas. São aceitos alimentos, higiene pessoal, móveis e eletrodomésticos. Os móveis e eletrodomésticos são doados para as pessoas que deixam as ruas e montam suas casas. Para ajudar, basta entrar em contato pelo telefone (32) 3212-5072 ou ir até a sede da fundação.

 

 

 

Publicidade


2 comentários

  1. Marcelo R. disse:

    Parabens! Eu já nao tenho mais expectativas que esta ajuda tivesse saido dos orgaos competentes.
    Acao louvável. Só nao se deve despresar as praticas da boa higiene. Me refiro a grande vasilha de copos de plástico dando a impressao que foram reutilizados. Caso nao, nao seria salutar permitir uma grande manipulacao em cima dos mesmos.
    Em Juiz de Fora deveria tambem existir um chuveiro para os taxistas tomarem banho e fazerem a barba.

  2. associação Meraki Brasil ( ONG ) disse:

    Maravilhoso, isto. Parabens…O mundo precisa de muito mais seres humanos destes. Que DEUS oriente o trabalho de voces sempre. Quem puder ajudar não pense duas vezes…é lindo e muito gratificante. VIVA a solidariedade…

*

Restam 500 digitos

Top