Publicidade

19 de Março de 2014 - 06:00

Por Tribuna

Compartilhar
 
Uma das fotografadas, Aretuza dos Santos é licenciada e mestre em educação pela UFJF e doutoranda pela UERJ
Uma das fotografadas, Aretuza dos Santos é licenciada e mestre em educação pela UFJF e doutoranda pela UERJ

Se a questão das cotas trouxe à universidade o que alguns militantes do movimento negro chamam de democracia racial, é mais do que urgente que as discussões sobre a igualdade das raças estejam em pauta. Para ocupar esse lugar, a exposição "Identidade: negra" exalta a beleza da mulher negra e o seu lugar na sociedade e na comunidade universitária. As 30 fotografias de Rafael Sinfrônio enfocam alunas, ex-alunas, funcionárias ou professoras da UFJF. Registradas em suas belezas naturais, essas mulheres não são modelos, mas exibem nas imagens o orgulho por sua raça. Idealizado pela mestranda do programa de pós-graduação em educação da UFJF Maria Diomara da Silva, sob orientação da professora da Faculdade de Serviço Social Eliseth Menegat, o projeto resulta em mosaico sensível, sem ser meramente panfletário, jogando luzes para uma questão bastante cara a uma das primeiras universidades do Brasil a adotar o sistema de cotas raciais.

IDENTIDADE: NEGRA

De segunda a sexta-feira, das 7h às 23h, e aos sábados, das 8h às 14h, até 11 de abril, no saguão da Reitoria da UFJF (Rua José Lourenço Kelmer s/n - Campus universitário)

 

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que a Justiça agiu corretamente ao permitir, por habeas-corpus, a soltura dos ativistas presos durante a Copa?