Publicidade

26 de Fevereiro de 2014 - 06:00

Casuarina leva o samba carioca à Praça Antônio Carlos, enquanto os sertanejos invadem o Centro, a caráter, na primeira edição do Bloco Paixão Sertaneja, que homenageia o radialista José de Barros

Por BÁRBARA RIOLINO

Compartilhar
 

Ponto de referência das mais diversas formas de manifestação cultural, a Praça Antônio Carlos vai ganhar, hoje, os ares da Lapa, o reduto do samba mais famoso do Rio de Janeiro. A tarefa ficará a cargo do grupo carioca Casuarina, já conhecido dos juiz-foranos e que volta à cidade para integrar a programação do Corredor da Folia. "A Lapa, muito mais que um espaço físico, representa um lugar de resistência, onde foi possível reunir conceitos e pessoas diferentes. Por onde passamos, buscamos reconhecer pontos que cumprem este papel e tornam-se ambiente de confluência para aquela cidade. Vamos nos apresentar em um local aberto, diferentemente do habitual, que permite nos conectarmos a outras pessoas. Essa troca é muito bacana", comenta João Cavalcanti, um dos integrantes do Casuarina.

O show também marca a estreia das fantasias de 2014, que o grupo irá usar no carnaval do Rio de Janeiro. "No ano passado nos caracterizamos de astros do rock, como Freddie Mercury, Axl Rose, Elvis Presley, e incorporamos não só o estilo, mas o comportamento de cada um deles às músicas. Para se ter uma ideia, abrimos o show no Rio com uma versão de "Sweet child o'mine", do Guns N'Roses. Neste ano será outra brincadeira, que não isenta mudanças no repertório também", conta o músico sem dar detalhes. "É uma brincadeira que o Casuarina faz há uns quatro anos no carnaval do Rio, para trabalhar o samba de forma lúdica. O carnaval é isso: reverenciar estas figuras e voltar a ser criança. É uma brincadeira completa", acrescenta.

Além de João Cavalcanti (vocais e percussão), o Casuarina é composto por João Fernando (voz e bandolim), Gabriel Azevedo (voz e pandeiro), Rafael Freire (voz e cavaquinho) e Daniel Monte (violão sete cordas). Em janeiro, logo que a programação pré-carnavalesca da cidade foi divulgada pela Funalfa, o grupo disse à Tribuna que não iria deixar ninguém parado durante o show, acatando à ordem do rei Momo: sambar. "Tocar em praça pública vai contemplar muitos fãs que nunca nos viram ao vivo. A expectativa de um show ao ar livre, antecedendo o carnaval, é sempre a melhor possível, principalmente nesta cidade, onde temos um bom público. A gente se sente em casa!", disseram. "Por mais que já tenhamos essa proximidade com a cidade, será uma experiência nova e diferente, com direito a frio na barriga", comenta Cavalcanti.

Nos moldes do trabalho mais recente, o DVD "Dez anos de Lapa", lançado em 2013, com canções autorais e regravações de sambas assinados por Herivelto Martins e Bendito Lacerda, o Casuarina pretende acrescentar músicas de carnaval. "Vamos fazer com que os juiz-foranos conheçam o repertório que apresentamos no Rio de Janeiro, para sentirem o carnaval carioca. Para isso, iremos passear por sambas clássicos - "Aquarela brasileira" e "Eu quero é botar meu bloco na rua" - e sambas-enredos inesquecíveis e aqueles que gostamos mais, como o "Ilu ayê", samba-enredo da Portela em 1972, que é uma afirmação da raça negra. Gostamos dela, pois passa uma mensagem importante, inclusive nos dias de hoje, quando ainda há muito racismo", finaliza João.

 

 

Bloco sertanejo homenageia José de Barros

O estilo sertanejo também aparece na folia local. Para os organizadores do bloco Paixão Sertaneja, que se concentra hoje no Parque Halfeld, os estilos se complementam neste carnaval. "É o resultado da união entre duas culturas brasileiras: o sertanejo e o samba", explica Braz de Oliveira, coordenador do bloco, ressaltando que as bandas de carnaval acabam incluindo músicas sertanejas em seu repertório.

Saindo pela primeira vez na cidade, o bloco irá homenagear o radialista José de Barros, 82 anos, à frente do programa "Hora sertaneja", todos os dias pela manhã, das 5h as 7h, na Solar AM, por 37 anos. O samba-enredo "Como é bonito o amanhecer na minha terra" - composto por Paulo Canário e Messias da Rocha, interpretado por Bruno Fani - é inspirado na música "Amanhecer na minha terra", de Dino Franco, que abria o programa. Elementos como a sanfona foram incorporados à gravação. "Nossa proposta é homenagear alguém em vida, para que ele possa participar e saber o quanto ele foi importante para nós, os sertanejos", ressalta Braz.

"Sempre gostei do carnaval e do sertanejo. Poder ser homenageado desta forma é uma honra para mim", disse José de Barros à Tribuna, confirmando sua presença hoje no desfile do bloco. Além do radialista, outra presença ilustre será Adelino Santos, um senhor de 93 anos que até hoje anda a cavalo e toca seu berrante. As duplas sertanejas da cidade, como Fabrício & Gabriel, Renan & Cristiano, Leonardo di Freitas & Fabiano, Olavo & Allisson, Bruna & Osmar, já confirmaram presença no bloco.

"Vamos unir o sertanejo de raiz ao universitário", adianta Braz, acrescentando que quem quiser participar pode comparecer com a camiseta do bloco ou "praiado", termo que define as vestimentas do sertanejo, como bota, chapéu, camisa xadrez e cinto de fivela. O bloco sairá da Câmara Municipal e descerá o Calçadão da Halfeld até a Avenida Getúlio Vargas.

 

CASUARINA

 

Hoje, às 20h30

Praça Antônio Carlos

 

BLOCO PAIXÃO SERTANEJA

 

Hoje, às 18h

Concentração no Parque Halfeld

 

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você tem percebido impacto positivo das operações policiais nas ruas da cidade?