Publicidade

18 de Janeiro de 2014 - 07:00

Por BÁRBARA RIOLINO

Compartilhar
 

Recém-chegado do Festival Universo Paralello, realizado na virada do ano na Praia de Pratigi, em Ituberá, na Bahia, que reserva paisagens inspiradoras e experiências únicas, o DJ AlokPetrillo chega a Juiz de Fora neste sábado como uma das atrações da Black Moon no Privilège. Sua trajetória está intimamente ligada à história do Universo Paralello, que o faz ser hoje um dos embaixadores do evento. Aos 22 anos de idade, Alok, nascido no Distrito Federal, começou a preencher seu currículo ainda na barriga da mãe. "A minha infância foi bem diferente da de crianças ao meu redor. Lembro que, muitas vezes, parecia que eu era o único a ter os pais DJs", disse à Tribuna.

Alok é filho dos DJs Ekanta e Swarup, dois pioneiros na música eletrônica no país e criadores do Universo Paralello. Enquanto os garotos de sua idade se viam imersos em videogames, a diversão dele era trabalhar os ritmos musicais a partir de um par de CDs e um mixer. "Comecei a me envolver com a música eletrônica aos 5 anos de idade, por influência indireta de minha mãe, quando trabalhava em uma casa noturna em Amsterdam. No decorrer do tempo, fui me envolvendo mais com a eMusic, até chegar ao ponto de me tornar DJ, aos 12 anos. Desde então, nunca mais me separei. Ou seja, a brincadeira de criança se tornou coisa séria."

Ao dizer que as histórias de Alok e o Universo Paralello estão interligadas, o resultado desta parceria pode ser visto a partir do resultado obtido por ele no comando de uma das pistas do festival, UP Club Stage. "Foi uma experiência incrível na minha carreira como DJ. A pressão era muito maior, e o festival fugia da realidade ao ser comparado a outros eventos em que preciso encarar o público apenas como DJ. No Universo Paralello foi diferente. Eu não era apenas o artista em cima do palco, era o responsável pelas insatisfações e satisfações da pista. Felizmente, o evento foi um sucesso, houve um trabalho muito intenso. Neste caso, o feedback positivo sobressaiu mais que os negativos."

Com faixas que mesclam a pegada mais pesada, presente no techno, ao groove da house music, somadas à vontade de acrescentar vocais graves produzidos ao vivo no "vocoder", Alok já coleciona, em dez anos de carreira, mais de um milhão de músicas no SoundCloud, sendo autor de diversos hits, como "Snoop sings" e "Puro êxtase" - fruto da parceria com IcySasaki -, "São Paulo" - com participação do guitarrista Yuri Jack, e a faixa recente "We are underground", que teve a produção de um videoclipe no Youtube.

Para 2014, além dos planos voltados para assumir pick-ups em diferentes países e festivais nacionais, o DJ terá sua rotina retratada em um documentário,"New design", com estreia prevista para meados deste ano. "Gravar este documentário é uma forma de compartilhar minhas experiências com o público e com os DJs. O 'New design' relata com transparência a minha rotina, que envolve viagens, festas, hotéis e todo o background. Espero poder ajudar e inspirar os atuais e futuros DJs da cena."

Na semana passada, Alok se apresentou no Privilège Búzios e, ao questioná-lo sobre o que ele pensa em montar para o público de Juiz de Fora, ele foi enfático. "Estou preparando algo totalmente novo. Acredito que cada festa tem a sua singularidade", adianta. A noite na casa ainda reserva o projeto Twice Nice, Capute & Moa e Marquinhus SP.

Black Moon

Hoje, às 23h

Privilège

(Estrada Engenheiro Gentil Forn 1000 -

São Pedro)

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você concorda com a retirada das pinturas de Lucio Rodrigues dos pontos de ônibus?