Publicidade

20 de Março de 2014 - 06:00

Por Tribuna

Compartilhar
 
Filme polêmico, exibido pela primeira vez em Juiz de Fora, retrata a paixão de duas meninas adolescentes
Filme polêmico, exibido pela primeira vez em Juiz de Fora, retrata a paixão de duas meninas adolescentes

Adèle tem 15 anos e descobre, na cor azul dos cabelos de Emma, sua primeira paixão por outra mulher. Sem poder revelar a ninguém seus desejos, ela se entrega por completo a um amor secreto, enquanto trava uma guerra com sua família e com a moral vigente. Vencedor da Palma de Ouro no Festival de Cannes do ano passado, "Azul é a cor mais quente" é inspirado na história em quadrinhos homônima, assinada por Julie Maroh. Dirigido pelo franco-tunisiano Abdellatif Kechiche e protagonizado pelas atrizes Adèle Exarchopoulos e Léa Seydoux, a produção foi alvo de inúmeras polêmicas envolvendo a comunidade LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis). Exibido com restrições nos cinemas brasileiros, o filme ainda não foi lançado em DVD por conter cenas de sexo, e as empresas de produção de mídia se recusarem a prensar o material. Inédita em Juiz de Fora, a obra tem sessão única nesta quinta, por meio do Cineclube Bordel Sem Paredes.

AZUL É A COR MAIS QUENTE Hoje, às 19h, no Anfiteatro João Carriço (Av. Rio Branco 2.234 - Prédio da Funalfa - Centro)

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você aprovou a seleção convocada por Dunga?