Publicidade

31 de Janeiro de 2014 - 07:00

Por Tribuna

Compartilhar
 
Rafael Cestaro brinca com a subjetividade na mostra "Abstrato"
Rafael Cestaro brinca com a subjetividade na mostra "Abstrato"

Utilizando diversas combinações de cores, com predominância do castanho e do terra, o artista plástico Rafael Cestaro brinca com a subjetividade do público na exposição "Abstrato". Utilizando tinta acrílica aplicada sobre papelão em 19 telas com pinturas abstratas, Cestaro buscou estimular diferentes sensações através das nuances de cores e texturas e também por meio do apelo ao tato proporcionado pelo acrílico. A mostra revela outra face do artista, habituado à arte figurativa, que define a mostra como "um abrangente estudo da natureza da cor e seus efeitos". O desejo em despertar os sentidos não é gratuito: o artista destaca que seu objetivo é que o espectador carregue consigo alguma impressão dos trabalhos. "Essa é a grande vantagem da arte abstrata. Quando se trabalha com formas sem figura, é mais fácil atingir o espectador para que ele se interrogue sobre o que o está atraindo ou repelindo na obra. Ele se pergunta com maior facilidade sobre sua relação com o quadro e com a arte."

"Abstrato - Rafael Cestaro" (Saguão da Reitoria -

Campus da UFJF).

De segunda a sexta,

das 7h às 22h,

sábados, das 8h às 12h.

Até 28 de fevereiro

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que o Rio vai conseguir controlar a violência até a Copa do Mundo?