Publicidade

27 de Fevereiro de 2014 - 06:00

Dicionário trilíngue on-line, desenvolvido pela UFJF em parceria com a Unisinos, traz expressões do futebol e do turismo acompanhadas de suas cenas

Por MARISA LOURES

Compartilhar
 

"O Brasil chegou à final da Copa do Mundo." De fácil compreensão para qualquer brasileiro, a frase acima pode ser considerada um bicho de sete cabeças se ouvida fora do contexto por um norte-americano ou um espanhol. Em uma consulta rápida ao dicionário, o verbo "chegar" pode se referir a "finalizar o percurso de uma trajetória" ("arrive" em inglês, "llegar" em espanhol) ou, conforme o exemplo dado, "alcançar algo" ("move on to" em inglês, "pasar" em espanhol) . "Quando falo Brasil, posso me referir ao país, ao atleta que o representa, à delegação ou ao Governo. São enfoques diferentes", observa Tiago Timponi Torrent, professor do Departamento de Letras da Universidade Federal de Juiz de Fora e coordenador, ao lado da professora Margarida Salomão, do projeto "Copa 2014 FrameNet Brasil", desenvolvido em parceria com o Departamento de Ciências da Computação da UFJF, a Universidade do Vale dos Sinos (Unisinos), do Rio Grande do Sul, e com o International Computer Sciences Institute, de Berkeley, na Califórnia.

O objetivo do programa é lançar, em abril, um dicionário on-line trilíngue (português-inglês-espanhol), que apresentará o significado dos vocábulos do futebol, da Copa do Mundo e do turismo. Ao se deparar com uma notícia em um jornal brasileiro, um estrangeiro digitará a sentença exatamente como está escrita, achando a definição em português e as traduções em espanhol e em inglês, além de imagens evocadas pelas sentenças. No caso das frases mencionadas no início deste texto, a ferramenta faria a busca em cima do verbo "chegar", que é o núcleo.

A iniciativa chegará ao público no ano em que o pentacampeão do mundo está no centro das atenções. Com ela, os jargões pronunciados à exaustão nas beiras dos campos tendem a ser decifrados mais facilmente, principalmente no período em que o número de estrangeiros em solo brasileiro vai se multiplicar, segundo estimativas levantadas pelo Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur). Nos dias de jogos, o país deve receber cerca de 600 mil visitantes do exterior, fechando 2014 com um total de 7,2 milhões de estrangeiros.

Como a cena é organizada em uma rede, o dicionário possibilitará remeter o internauta para vários momentos da experiência do turista até a sua ida para o alojamento. "Quando se ouve uma palavra como turismo, por exemplo, imediatamente pensamos em uma cena, uma atração e um lugar em que ela fica. A semântica de frames, teoria linguística que está por trás do dicionário, propõe que só é possível compreender o sentido de uma palavra se considerarmos a cena que ela evoca."

O professor ressalta que o aplicativo auxiliará não só brasileiros, mas também pessoas que vêm de fora, aproximando as culturas das três nações. "Aí está a sua vantagem. O dicionário fornece exemplos de uso e tem o link que leva o usuário para o site onde foram retiradas as expressões", diz Torrent. "Funcionará também como uma espécie de enciclopédia."

Embora bem próxima do português, a língua espanhola também pode ser motivo de embaraço. O novo dicionário permitirá encontrar significados diversos em situações de uso de verbos como "disfrutar" em espanhol. "El turista puede disfrutar de playas hermosas" reporta o ouvinte para experiências vivenciadas por um visitante em uma certa localidade. Já em "Juiz de Fora disfruta de un museo de arte moderno", a intenção é se referir ao fato de a cidade possuir um atrativo turístico.

A pluralidade de traduções para o vocábulo "conhecer" também promete não causar mais dor de cabeça para o falante dos três idiomas abrangidos pelo dicionário. Enquanto, no português, esse verbo pode ser empregado no contexto do turismo, seus equivalentes em espanhol e inglês produzem sentidos diferentes. "Aqui, é muito comum usarmos sentenças, como 'se for ao Rio, não deixe de conhecer o Pão de Açúcar.' Se fizéssemos uma tradução direta dessa frase para o espanhol ou para o inglês, substituindo 'conhecer' por 'conocer' e 'know', respectivamente, teríamos sentenças malformadas nesses dois idiomas. O mais adequado seria usarmos 'visitar' para o espanhol e 'see' para o inglês", observa Torrent.

 

 

 

Cenas do futebol

Segundo Torrent, o projeto já conta com cerca de 70 cenas para o turismo e para a Copa do mundo e 60 para o futebol. "A quantidade de cenas tende a se manter estável, o que será ampliado é o vocabulário. Quando a gente tem um grande evento, é muito comum que surjam novos empregos para as palavras. Essa é a vantagem de não ser um dicionário de papel. As palavras podem ser incluídas a qualquer momento."

Os trabalhos começaram a ser realizados em 2011, sendo aprovados pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), em 2012, e pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig), em 2013. Atualmente, o projeto está na etapa de registro de software. Enquanto à UFJF cabe o levantamento de vocábulos do turismo, incluindo gastronomia e entretenimento, e da Copa do Mundo, a Unisinos ficou a cargo do conteúdo relacionado ao esporte. De acordo com Torrent, a instituição gaúcha já vem se debruçando, desde 2009, sobre a versão brasileira do dicionário "Kicktionary", que traz vocábulos do futebol para inglês, francês e alemão.

Assim que for lançado, o dicionário poderá ser consultado em qualquer plataforma gratuitamente. Para as Olimpíadas de 2016, já há a previsão de ampliar o suporte, incluindo a língua francesa e adicionando outras modalidades esportivas. "A ideia é que, futuramente, o usuário seja direcionado para as bases de dados externas ao dicionário de forma automática, rompendo de vez os limites entre dicionário e enciclopédia", finaliza o professor.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você pretende substituir o ovo de Páscoa por outros produtos em função do preço?