Publicidade

16 de Abril de 2014 - 06:00

'Un sueño madrileño'

Por RODRIGO REZENDE Comunicólogo

Compartilhar
 
Rodrigo na movimentada Gran Via, em Madri
Rodrigo na movimentada Gran Via, em Madri

Localizada no centro geográfico da Espanha, Madrid tornou-se uma das maiores e mais importantes capitais europeias, com aproximadamente 3,3 milhões de habitantes. Por mais incrível que pareça, a cidade não é propriamente referência no turismo. Não há um grande monumento que todos no mundo querem conhecer, como a Torre Eiffel em Paris, mas, para quem gosta de arte, cultura e vida noturna, Madri é a cidade certa.

A primeira parada é o Museu do Prado, que abriga as mais importantes e conhecidas obras de artistas espanhóis, como Velázquez, com o quadro "Las meninas". Uma pintura que convida a entrar num ambiente monárquico, cheio de luxo e detalhes, totalmente fora da nossa realidade. O Museu Nacional Centro de Artes Reina Sofia abriga sobretudo exposições temporárias de artistas nacionais e estrangeiros. Sua grande e magnífica obra (em exposição definitiva) é sem dúvida "Guernica", de Pablo Picasso, uma obra 100% espanhola criada em Paris, durante a Guerra Civil. Picasso se valeu de diversos recortes de fotografias em notícias sobre a guerra na Espanha e criou uma das maiores obras do mundo, medindo seus impressionantes 3,5m de altura x 7,8m de comprimento. Vale lembrar que a importância da obra é tão grande que ela tem direito a uma sala exclusiva para a exposição ao público, sempre rodeada por dois seguranças que soltam logo um forte "¡No!" quando alguém tenta fotografá-la. Não fique com medo de perder pelo menos uns 15 minutos nessa sala como eu fiz, cada detalhe da obra é um marco da história.

Em Madri, existem pequenos bares, porém muito confortáveis, em que, além de bebidas, servem tapas, que são porções de pão, pão com queijo, carnes, batatas cozidas, presunto ibérico etc. Uma referência madrileña é o 100 Montaditos, com uma centena de diferentes tipos de tapas, grande parte servida dentro de pequenos pães, sempre acompanhada com bebidas. Sim, os espanhóis bebem muito álcool, a qualquer hora do dia e local.

No Barrio de Las Letras você encontra dezenas de bares, um ao lado do outro, além de se esbarrar com gente de todo o mundo, sobretudo, estudantes em intercâmbio. Sua noite pode terminar (ou começar) na mais famosa discoteca nacional, Kapital, um prédio com sete andares de variados estilos musicais, mesmo ao lado da estação ferroviária da Atocha, local dos atentados terroristas de Março de 2004.

Para terminar o dia, sugiro o Templo de Debod, reprodução de um templo egípcio que dá a oportunidade de ver o pôr do sol mais bonito de toda a cidade, com o céu em tons alaranjados no outono, com o parque florestal Casa de Campo à frente e o Palácio Real ao lado, nos levando para um mundo de fantasias.

Eu poderia escrever muitas coisas sobre Madrid, mas deixo apenas uma dica: Não tenha um itinerário em mão, deixe-se levar por ruas, construções, pessoas, e acabará por conhecer uma cidade encantada que te fará querer voltar.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você já presenciou manifestações de intolerância religiosa?