Publicidade

25 de Junho de 2014 - 06:00

Encantamento pelo Velho Mundo

Por ANA PAULA DE SOUZA, ASSISTENTE SOCIAL

Compartilhar
 
Ana Paula e Rui planejam voltar à Europa
Ana Paula e Rui planejam voltar à Europa

Sempre ouvimos dizer que a Europa é um sonho, que quando se faz uma viagem para um país europeu, não se tem vontade de voltar para o Brasil. A verdade é que, depois que se vai à Europa, damos razão ao que dizem. A Europa é linda, organizada, interessante, aconchegante, cheia de história, e não dá vontade de voltar. Eu e meu marido, Rui, conhecemos França e Portugal (Paris e Lisboa) no último mês de maio, em uma viagem de 14 dias.

Nosso primeiro destino foi Paris, a capital francesa. Nos hospedamos em um flat próximo ao metrô e ao RER (trem que liga a Île de la Citè às zonas periféricas de Paris), o que facilitou o deslocamento. A cidade é tudo o que dizem e muito mais. Os sistemas eletrônicos funcionam. Os preços são justos. As linhas de metrô são organizadas, rápidas e te deixam muito perto de onde você quer ir. Além disso, Paris respira cultura, é tudo muito interessante.

Visitamos dezenas de pontos turísticos em uma semana, incluindo grande parte do Museu do Louvre, que é muito mais do que "La Gioconda" (mais conhecida como Monalisa), de Leonardo DaVinci. O museu tem um acervo histórico absurdamente rico. Múmias, sarcófagos, antiguidades gregas e romanas, antiguidades orientais, peças islâmicas, monárquicas... Um sonho. Outro ponto alto é o Musée National du Moyan Âge, com peças da Idade Média. Este não costuma fazer parte dos roteiros dos turistas, mas também é muito interessante.

As atrações comumente visitadas pelos turistas são realmente de cair o queixo: Jardin du Luxembourg, Palais de Luxembourg, Pantheon, as catedrais St. German des Près e a belíssima Notre Dame, Jardim de Tuleries, Musée d'Orsay, Hotel des Invalides e a École Militaire, Champs de Mars e a Torre Eiffel. Não se pode esquecer do histórico Arco de Triunfo, do Grand Palais e Petit Palais, e a Sacré Coeur, em Montmartre.

Como navegar é preciso, porém, seguimos para Lisboa, onde ficamos outros sete dias. Na capital, conhecemos a Torre de Belém, o Castelo de São Jorge (um dos lugares mais maravilhosos que já conheci), a Sé Catedral de Lisboa, o Museu Nacional de Arqueologia, o Baixo e Alto Chiado. Alugamos um carro a fim de conhecermos as cidades vizinhas. Encantei-me com Évora, que possui um templo romano praticamente intacto, erguido no centro da cidade. É emocionante saber que você está em um local onde se preserva uma estrutura do século I.

Ainda em Évora conhecemos a Igreja de São Francisco, onde se encontra uma capela toda revestida de Ossos Humanos, retirados de diversos túmulos das cidades vizinhas. Nesta capela ainda encontramos dois corpos mumificados que, segunda a lenda, são de uma criança que agredia a mãe, e o pai não se manifestava. Após uma praga rogada pela mãe em seu leito de morte, onde dizia que a terra não comeria a carne de ambos, estes não foram sepultados. Também encontramos na cidade um conjunto de 95 menires (esculturas de pedras verticais) em formato circular, chamado de Cromeleque dos Almendres. Estes menires datam da pré-história e estão intactos.

Em Sintra, visitamos o Castelo dos Mouros. Outro ponto muito interessante é a Quinta da Regaleira, repleto de verde e monumentos, além de um maravilhoso palácio. Ele conta ainda com um interessantíssimo mundo subterrâneo, repleto de passagens, túneis, cavernas e grutas (algumas repletas de pequenas estalactites).

Não conseguimos visitar Serra da Estrela, Serra de Aire e Candeeiros, pois ficava um pouco distante. Mas estas já fazem parte de nossa próximo visita. Pois, sim, pretendemos voltar em breve.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que alertas em cardápios e panfletos de festas sobre os riscos de dirigir sob efeito de álcool contribuem para reduzir o consumo de bebidas por motoristas?