Publicidade

15 de Fevereiro de 2014 - 07:00

Edital de Apoio a Projetos Turísticos 2014 contempla 24 iniciativas da cidade

Por MARISA LOURES

Compartilhar
 

Foi divulgada na última quinta-feira, pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Geração de Emprego e Renda (Sdeer), a lista com os contemplados no Edital de Apoio a Projetos Turísticos 2014. Vinte e quatro iniciativas atenderam as normas previstas no documento e serão beneficiadas com uma parte dos cerca de R$ 140 mil. O primeiro lugar ficou com a Expo Mundo Rural 2014, que receberá aproximadamente R$ 6,7 mil. Já a Let's Eat!, último agraciado, será beneficiado com R$ 5 mil. "Na edição anterior, tivemos 13 projetos inscritos. Este ano,o número subiu para 34. A gente percebe que há profissionalização do setor. Os produtores começaram a planejar, os projetos ficaram mais bem definidos. Hoje tem pesquisa", avalia Tatyana Herdy Hill, chefe do Departamento de Incentivo ao Turismo.

Na lista de contemplados, também estão Miss Juiz de Fora Gay, 20ª Deutches Fest - A Festa Alemã de Juiz de Fora, 1° FIT- Feira do Interior de Turismo em Juiz de Fora, 16º Juiz de Fora Rainbow Fest, Comida di Buteco, JF Duas Rodas, Guia Abrasel 2014/2015, 13ª Feira Cultural Árabe de Juiz de Fora, JF Sabor 2014, 1ª Feira Gastronômica de Rua, 37° Miss Brasil Gay, 1º Biergarten JF, 3º Encontrar, 4º Simpósio Mineiro de Neurociências, Sete - Seminário de Entretenimento, Turismo e Eventos, Brasil Sabor 2014, Desafio do Imperador, Ibitipoca off Road, Pelas Trilhas de Juiz de Fora - Caminhos Para o Morro do Imperador, Guest Fashion, Negociart e BRA DH - Campeonato Brasileiro de MTB Downhill 2014. "Alguns dos projetos são novos. A inovação, inclusive, é um dos critérios pontuados", ressalta Tatyana.

O apoio dado pela Prefeitura pode ser institucional ou financeiro, sendo que somente podem ocorrer três eventos por mês, mantendo uma programação ativa o ano inteiro. Na primeira fase, o proponente tem que comprovar a documentação. Na etapa de negociação, ele informa se aceitará o valor oferecido. "Uma comissão com cinco técnicos definidos pelo Conselho Municipal de Turismo (Comtur) avalia as propostas segundo os critérios estabelecidos. Os mais bem classificados recebem valor maior", explica. Neste momento, os classificados estão passando pelo processo de homologação. "O proponente só pode ser eliminado se não comprovar alguma documentação. Ele tem que estar em dia com a regularidade fiscal." Tatyana ainda ressalta que os valores serão repassados nas datas solicitadas pelo produtor, que tem 30 dias a partir do recebimento para prestar contas.

Tatyana também diz que a 14ª Exposição de Orquídeas de Juiz de Fora era o 24º classificado, mas foi retirada do resultado final porque estava prevista para agosto, mês em que outros três projetos serão executados . Segundo ela, os organizadores da mostra não conseguiram alterar a data de sua realização.

Conforme reportagem publicada no último domingo pela Tribuna, "JF em prosa, verso e números", estimular a capacidade de atrair o turista para Juiz de Fora é a preocupação de alguns segmentos da sociedade. Na Universidade Federal de Juiz de Fora, o Departamento de Turismo, através do Grupo de Educação Tutorial, em breve, dará entrada, na Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig), com um projeto de extensão voltado para produções nos bairros da cidade. Partindo da ideia de que Juiz de Fora é uma "cidade criativa", os pesquisadores selecionarão, inicialmente, quatro ou cinco localidades para começar o trabalho.

"A ideia é pegar bairros periféricos que têm artesanato ou até um prédio reconhecido pelos moradores como espaço atrativo. Nosso intuito é agregar possibilidades que saiam da área central e que, a longo prazo, os próprios moradores possam ser os promotores dessas ações. Vai ser um trabalho de base e não de um pesquisador sentado do alto de sua cadeira, e não da Prefeitura", destaca o professor Humberto Fois Braga.

O professor também antecipa que, no mês de novembro, entre os dias 10 e 13, a cidade vai sediar, pela primeira vez, o Encontro Nacional de Turismo de Base Local. "Toda a comunidade juiz-forana está convidada a participar. Será um espaço para os produtores discutirem os prazeres e problemas do seu trabalho."

Braga também observa que é preciso incrementar o turismo do município, enxergando esse setor com um olhar que ultrapassa a realização de eventos. "Não acho que os eventos têm que ser ignorados. Só acho que temos que ir além disso. Eles precisam ser canalizadores de fluxos atrativos. Juiz de Fora precisa repensar o patrimônio como locais turísticos. Temos uma população flutuante que procura saúde, educação e comércio, então vamos tentar pensar em algo que preencha o momento ocioso dela. Não podemos ter, somente, uma visão econômica do turismo. Ele não pode ser só gerador de renda, mas uma ferramenta de socialização e reconhecimento", finaliza Humberto.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você tem percebido impacto positivo das operações policiais nas ruas da cidade?