Publicidade

13 de Março de 2014 - 06:00

Lançamentos passam a ser exibidos em todo o país nas quintas-feiras; cinemas da cidade discutem a decisão

Por JÚLIA PESSOA

Compartilhar
 
Vencedor do Oscar de Melhor Filme, "12 anos de escravidão" é um dos que inaugura, em JF, os lançamentos às quintas
Vencedor do Oscar de Melhor Filme, "12 anos de escravidão" é um dos que inaugura, em JF, os lançamentos às quintas

A partir de hoje, os brasileiros poderão assistir às estreias do cinema mais cedo. No dia 21 de fevereiro, a Federação Nacional das Empresas Exibidoras Cinematográficas (Feneec) anunciou, em nota, que o dia padrão para exibição dos lançamentos mudará de sexta para quinta-feira. A decisão, tomada após meses de negociação entre exibidores e distribuidores, derrubou "uma tradição de mais de 20 anos de lançamentos na sexta", como afirma um trecho do comunicado. Ainda conforme a Feneec, a alteração visa a aumentar o público das quintas, considerado fraco, bem como antecipar o burburinho das estreias e a movimentação dos fins de semana.

O presidente Feneec, Paulo Lui, disse, à época do anúncio da decisão, que a mudança se justifica para que o cinema possa concorrer com outras formas de diversão. Segundo Paulo, a quinta já é um dia de entretenimento consolidado no hábito dos brasileiros, e, com as estreias, as telonas estarão mais aptas a atrair o público, que tendia a buscar outras formas de lazer. Ainda conforme o presidente da Feneec, a iniciativa também levou em conta o bom desempenho das bilheterias nas pré-estreias realizadas às quintas. Em todo o mundo, países como Alemanha, Rússia, Austrália, Argentina, Peru, Bolívia e Chile já usam a quinta-feira como dia de estreias nos cinemas.

A Tribuna conversou com as redes de exibição atuantes em Juiz de Fora, que possuem opiniões díspares sobre a mudança. Em nota, o UCI Kinoplex, que atua no Independência Shopping, informou que "acompanha a decisão estabelecida pelo setor e indica a Federação Nacional de Empresas Exibidoras Cinematográficas (Feneec) como porta-voz oficial do assunto, dada sua representatividade." Em nome da rede Cinemais, que atua no Shopping Alameda, o supervisor de operações, Alexandre Olegário, declarou que a alteração não resultará em grandes demandas de trabalho. "Haverá a antecipação dos procedimentos internos necessários para que as estreias sejam exibidas na quinta. Algo simples de se realizar", opina Alexandre, acrescentando que ainda não há discussão sobre mudanças nos preços das entradas. "Acho que o público só tem a ganhar, tendo acesso às estreias mais cedo, como ocorre em tantos países", conclui ele.

 

Diretor de programação do Cine Palace, Adhemar Oliveira afirma que a decisão mudará a dinâmica de trabalho da empresa. "O escritório terá que passar a funcionar no domingo. Antes, começávamos a preparar as informações na segunda para programar tudo para terça, agora não dá mais para ser assim." Ele destaca, ainda, que o cronograma de promoções das principais salas de exibição deverá ser alterado. "Normalmente, as promoções ocorrem na quarta-feira, mas elas tenderão a ir para o início da semana, em que as salas poderão ficar mais vazias", diz ele, ressaltando, entretanto, que o Palace continuará sem funcionar às segundas - pelo menos por enquanto. Apesar das adaptações, Adhemar acredita que o saldo da alteração deve ser positivo.

Para Fernando Costa Júnior, um dos proprietários da Cinemaníaca, rede local administradora das salas do Shopping Santa Cruz, a troca causará transtornos. "Para nós, pequenos exibidores, é até difícil assimilar. Vamos ter que mudar todo nosso sistema de trabalho, e toda mudança tem custos. Quanto ao público, teremos que adaptá-los a uma nova dinâmica de estreias e promoções. Além disso, logicamente, os preços serão revistos", comenta ele, questionando como será a reação dos espectadores a estas consequências. Fernando comenta que, como as salas estão passando por um processo de digitalização, estes problemas tendem a ser agravados. "Estamos fazendo grandes investimentos, e esta transformação poderá afetar as bilheterias. Deveriam ter feito antes uma pesquisa de opinião, com uma análise mais apurada da questão", reclama ele, garantindo que fará o máximo para que não haja efeitos negativos.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você está evitando contrair dívidas maiores em função da situação econômica do país?