Publicidade

28 de Fevereiro de 2014 - 06:00

Documentário sobre astro pop estreia hoje

Por BÁRBARA RIOLINO

Compartilhar
 

Justin Bieber está de volta ao Brasil, só que agora no documentário "Believe", dirigido pelo americano Jon M. Chu, que estreia hoje nos cinemas. O longa traz um compilado de imagens de shows e bastidores do jovem, mostrando sua ascensão dentro do cenário pop mundial. Em novembro do ano passado, Justin realizou sua segunda visita ao país com a "Believe Tour", que, além de shows realizados em São Paulo e no Rio de Janeiro, foi regada a muitas polêmicas envolvendo o cantor, que completa 20 anos amanhã.

Para saber como está a expectativa para a estreia, mesmo após os recentes acontecimentos na vida de Justin - prisão por promover um "pega" de carros, suposto envolvimento com drogas, vandalismo e pichações -, a Tribuna conversou com fãs e descobriu que, mesmo depois de tantas confusões, o cantor deve lotar as salas de cinema da cidade. "Vou assistir ao filme hoje, e, quando fui comprar o ingresso, haviam poucos lugares disponíveis. Após estas polêmicas, não deixei de ser fã. Acho que a mídia expõe muito o lado errado dos artistas. Não que eu passe a mão na cabeça dele, mas, como fã, preciso entender suas falhas e apoiá-lo. Ele é um ser humano como todos nós", defende a estudante Pâmela Duarte, 20 anos, fã do cantor desde 2009. Ela esteve presente nas duas turnês de Justin no Brasil, em 2011 e em 2013.

"Como uma "belieber" (termo que define as fãs de Justin), fiquei abalada com tudo que aconteceu, mas espero que o filme seja assistido por muitas pessoas. Pelo que já vi na internet, em trailer e trechos pelo YouTube, as imagens mostram um outro lado do Justin, sem ser rebelde o tempo todo", acrescenta a estudante Caroline de Paula Carvalho, 17, que estará na estreia do longa hoje.

A fundadora e administradora do fã-clube Bieber Mania Brasil, Luci Santos, 25, que teve acesso ao documentário antes do lançamento no país ("Believe" estreou nos EUA em dezembro de 2013), avalia que a última passagem do cantor pelo Brasil, de fato, não foi das melhores, porém ressalta que houve equívocos por parte da imprensa. "A mídia deu um 'zoom' em muitos rumores, como os que diziam que ele odiava o Brasil, que ele tratou mal os fãs, os grafites, o vaivém de boates e a saída com várias garotas. Talvez isso tenha impressionado quem o viu em 2011, ainda muito garoto, mas ele só estava se divertindo", comenta.

Para Luci, o documentário mostra um Justin Bieber humano. "As imagens contidas no filme não limpam a barra de Justin, pois há nada para ser limpo. Há apenas o Justin que erra, que chora, que sente, que chega a seu limite como todos nós. O que vai 'limpar' os erros do Justin, assim como acontece com a gente, é o aprendizado, a lição, e ele está disposto a isso. Nós, fãs, estaremos aqui por ele, mesmo não apoiando todas as suas escolhas. O filme renova esse sentimento. Vá aos cinemas para conhecer um Justin além da exposição e do sensacionalismo. Um Justin além dos holofotes."

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que o subsídio do Governo vai alavancar a aviação regional?