Publicidade

25 de Fevereiro de 2014 - 06:00

Escola ganha da Turunas após desempate apertado. Feliz Lembrança comemora retorno ao Grupo A

Por JÚLIA PESSÔA

Compartilhar
 
Escola levantou a arquibancada desfilando a Revolução Farroupilha
Escola levantou a arquibancada desfilando a Revolução Farroupilha

A emoção acompanhou até o último momento da apuração das notas dos desfiles das escolas de samba de Juiz de Fora. Disputadíssimo, o primeiro lugar das agremiações do Grupo A ficou entre a Unidos do Ladeira e a Turunas do Riachuelo, ambas com 108,7 pontos. As escolas também tiveram notas coincidentes nos dois primeiros quesitos de desempate: "enredo" e "bateria", e a vitória da Unidos do Ladeira foi determinada pelo critério "alegorias e adereços", em que a agremiação obteve 10 pontos, contra 9,7 da Turunas. Ainda no grupo especial, o terceiro lugar ficou com a Real Grandeza, última escola a desfilar, que obteve 108,5 pontos (veja no final da matéria as fotos das três primeiras colocadas).

A Juventude Imperial obteve a quarta posição, com 107,5 pontos, e a Mocidade Alegre, que ficou em quinto lugar, com 106,5, desfilará no Grupo B no carnaval de 2015. No Grupo B, a campeã com 108,4 pontos, foi a Feliz Lembrança, que voltará para o grupo especial no ano que vem. Em segundo lugar, com nota 108,3, a Unidos da Vila do Retiro também sobe. Já a União das Cores, que teve pontuação de 104,8, e a Rivais da Primavera (106,6), cairão para o Grupo C, que neste ano teve somente a Vale do Paraibuna como representante. Em 2015, a Vale, que fez 105,8 pontos, desfilará no Grupo B.

Para o presidente da Unidos do Ladeira, Marcos Valério Mendes, o empate deu um sabor especial à vitória. "Tem que ter emoção, senão não tem graça. Além disso, mostra que o o carnaval está crescendo, se abrilhantando, e que as escolas estão fazendo um trabalho cada vez melhor." Vice-presidente da Turunas, Diomário de Deus afirma que representantes da escola pretendem analisar as planilhas dos jurados para interpretar melhor o resultado. "Queremos ver onde precisamos melhorar para corrigir isso para os próximos anos. Mas estamos felizes com o resultado, mostra que as escolas estão equilibradas, e que a Turunas voltou para seu lugar", diz ele, fazendo menção à escalada da agremiação do Grupo C ao A desde que voltou a desfilar em 2011.

O presidente da Real Grandeza, Luiz Carlos Masson, também destaca que as pontuações muito próximas mostram a qualidade crescente dos desfiles juiz-foranos. "Perdemos o título por dois décimos, em quesitos muito específicos: harmonia e conjunto. Trabalharemos com eles para que não haja erros no ano que vem", acrescenta.

Em festa, o carnavalesco da Feliz Lembrança Fábio Esteves comemora a volta da escola, uma das mais tradicionais e antigas da cidade, ao grupo especial. "É consequência do trabalho de um ano inteiro para que isso acontecesse, para chegamos aos 75 anos da escola no lugar de onde ela nunca deveria ter saído." Presidente da Vale do Paraibuna, Waltencir Feliciano também comemora a subida da agremiação para o Grupo B. "Tivemos somente R$ 7 mil para fazer todo o desfile, o que não dá nem para cobrir os gastos com a bateria. É uma conquista muito grande e muito suada, fruto, sobretudo, da garra de nossos componentes."

 

 

Saldo de folia antecipada é positivo

Pela primeira vez, as agremiações juiz-foranas desfilaram antes do carnaval oficial, com o intuito de atrair os foliões que viajam durante o recesso. Avaliada como um sucesso pelas escolas, autoridades e boa parte do público, a decisão causou, entretanto, alguns transtornos à cidade, como o engarrafamento nos arredores da Passarela do Samba, devido à interdição da Avenida Brasil. Segundo o prefeito Bruno Siqueira, que esteve acompanhou os desfiles, a iniciativa trouxe mais pessoas à avenida, e a manutenção do carnaval antecipado será avaliada, bem como os transtornos que sua realização pode trazer. "Toda decisão desta natureza acarreta novas demandas, e a experiência deste ano permitirá a análise do que deu certo e o que precisa ser melhorado caso seja mais prudente antecipar os desfiles no ano que vem."

Para o superintendente da Funalfa Toninho Dutra, o desfile de 2014 foi um dos mais bonitos do carnaval juiz-forano. A estimativa da Funalfa é que cerca de 20 mil pessoas participaram dos dois dias de festa, incluindo quem assiste à festa da concentração e da dispersão das escolas. No ano passado, 22 mil foliões prestigiaram os três dias de desfiles. "O adiantamento foi bem aceito, e prova disso foi o fato de termos vendido todos os ingressos para a Passarela do Samba. Além disso, os blocos estão cheios, e a festa vem correndo sem violência. Neste ano, já fizemos uma distribuição melhor dos dias e locais dos blocos. Vamos trabalhar para que o carnaval seja cada vez melhor."

No que depender da família de Rogério Silva Lima, a festa pode continuar como foi feita em 2014. "Sempre trabalho no carnaval e perco a oportunidade de ver os desfiles, que estavam lindos. Acho válida a mudança porque dá mais uma chance de as pessoas prestigiarem o carnaval de sua cidade." O diretor de comunicação da Liga das Escolas de Samba de Juiz de Fora, Luiz Fernando Baldioti, o Baleia, acredita que a antecipação teve grande aceitação popular. "A segurança e o clima de festividade são bons parâmetros para vermos que deu certo. Vamos trabalhar agora para que as quadras voltem a ter uma vida ativa, sobretudo depois da interdição de tantas delas. O bom é que sambista é um povo guerreiro, e sempre tem um plano B, C ou D que faz as coisas darem certo."

 

Luxo e samba na ponta da língua

Terceira escola a desfilar no sábado, a grande campeã do carnaval juiz-forano levou à avenida o enredo "Revolução Farroupilha- A saga de coragem do povo riograndense", com carros luxuosos e integrantes com o samba-enredo na ponta da língua. Carros de boi, revolucionários, estancieiros e mesmo batalhas coreografadas remontaram com fidelidade a revolta gaúcha durante a passagem da Unidos do Ladeira na Passarela do Samba. Minutos antes do desfile, Roberto "Boizinho", da diretoria da escola, já afirmava, confiante: "Viemos para ganhar".

A Turunas, que completa 85 anos, levou inúmeros tons de verde com o samba "Krambeck, a mata que virou jardim", sobre a Mata do Krambeck, que contagiou o público na voz de Zezé do Pandeiro, Ary Arantes e Felipe do Cavaco. Apresentou alas com borboletas, micos, jaguatiricas, a inesquecível bateria de morcegos e vários exemplares da fauna e da flora. A comissão de frente, que teve nota máxima, foi coreografada por Rodrigo Silveira, e trazia integrantes vestidos de verde com cipós envoltos no corpo. "A escola foi muito feliz em explorar o tema da natureza, que é rico artisticamente", destacou o coreógrafo.

Houve pouco atraso nos desfiles do Grupo A, e nenhuma escola perdeu pontos por cronometragem. Entre os momentos mais emocionantes do desfile, esteve a passagem do sambista Flavinho da Juventude pela avenida. Recentemente, o artista foi hospitalizado e, no sábado, percorreu a Passarela do Samba ao lado dos puxadores, de cadeira de rodas e um largo sorriso no rosto. A comissão de frente da Real Grandeza, que encerrou os desfiles, também chamou atenção, trazendo diversos personagens históricos em uma encenação coreografada que tinha escravo, malandro, prostituta, fazendeiro, entre outras figuras.

Desfilando no domingo, a campeã Feliz Lembrança homenageou o carnaval de Juiz de Fora, levando à avenida ícones tradicionais da festa de Momo na cidade, como as Domésticas de Luxo e a Banda Daki, com bateria comandada pelo Mestre Caio. "Levei uma boa equipe, e, com muita luta e trabalho, demos nosso melhor", conta ele, que recebeu nota 10 pela performance de seu grupo. Já a Unidos das Vilas do Retiro, que também vai para o Grupo A, abusou da poesia com o enredo "Ilusão", buscando mostrar como as pessoas se iludem em todas as fases da vida. A Vale do Paraibuna, que passará para o Grupo B, desfilou com o descontraído enredo "Paz e amor, bicho!", lembrando os psicodélicos anos 1970 em toda sua efervescência cultural, política e estética.

Galeria de Imagens

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que o Rio vai conseguir controlar a violência até a Copa do Mundo?