Publicidade

18 de Maio de 2014 - 06:00

Faculdade de Letras da UFJF recebe II Encontro Mundial de Escritores Brasileiros no Exterior de 19 a 21 de maio

Por JÚLIA PESSÔA

Compartilhar
 

Reino Unido, Noruega, Itália, Alemanha, Líbano. Em tempos de Copa do Mundo, o que parece ser a listagem das seleções que aportam no Brasil para a maior disputa de futebol do mundo também é o anúncio de um grande time, mas de brasileiros que defendem a nossa literatura em terras além-mar. A partir de amanhã e até o dia 21 (quarta-feira), a UFJF recebe o II Encontro Mundial de Escritores Brasileiros no Exterior, que reúne diversos especialistas da área que têm atuado em prol da arte literária do Brasil em diversos países.

Segundo a coordenadora do projeto e professora visitante na UFJF do exterior, associada à Queen Mary University, de Londres, Else Vieira, um dos objetivos é discutir o fenômeno de imigração dos escritores brasileiros. "Quando falamos em literatura brasileira, pensamos em escritores que vivem aqui. Essa imigração é um fenômeno novo na história da literatura, decorrente, principalmente, da globalização", afirma a professora.

O encontro reunirá 12 escritores brasileiros de diversas partes do mundo, e um dos destaques da programação é o poeta e pesquisador Domício Coutinho, que vive em Nova York e fará a palestra de abertura, sendo considerado um dos pioneiros dessa diáspora. "Ele é muito interessante sob outra perspectiva também, pois fundou uma biblioteca brasileira em Nova York. É uma pessoa que exerce um papel cultural muito relevante em uma cidade multicultural", destaca Else.

A Biblioteca Machado de Assis é a única brasileira na Big Apple e atualmente possui um acervo com mais de quatro mil títulos provenientes de doações da Biblioteca Nacional, Academia Brasileira de Letras, instituições privadas e de colaborações individuais. Domício também é um dos fundadores da BEA (Brazilian Endowment for the Arts), uma organização sem fins lucrativos que promove a cultura brasileira em Nova York por meio de conferências, palestras, congressos, exposições de arte, aulas de português, recitais de música, mostra de filmes, lançamentos de livros e eventos literários.

O escritor integra, ainda, a União Brasileira de Escritores, Seção de Nova York (Ubeny), uma associação brasileira que reúne romancistas, poetas, dramaturgos e acadêmicos que moram na região de Nova York e visa a promover a língua e a cultura brasileira nos Estados Unidos, além de fomentar o desenvolvimento cultural da comunidade brasileira da região.


UFJF na vitrine do mundo

O I Encontro Mundial ocorreu em Londres, no ano passado. Junto à edição juiz-forana, será realizado o I Seminário de Expressões Literárias da Diáspora Brasileira. O evento terá a apresentação das pesquisas feitas por alunos e professores da pós-graduação em estudos literários da UFJF sobre o fenômeno da imigração dos escritores. As pesquisas analisam diversos aspectos da literatura feita por autores brasileiros no exterior, como a língua em que se escreve, a recepção dos escritores nos países em que residem e a literatura infantil, muito comum a este fenômeno. Ainda durante o evento, será inaugurado o primeiro acervo, no mundo, dos livros produzidos por esses escritores, que já possui cerca de 200 livros e será hospedado na UFJF, tornando a instituição referência nessa nova modalidade literária.

O Encontro Mundial de Escritores Brasileiros no Exterior faz parte de um projeto integrado entre a UFJF e a Queen Mary University, com o apoio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e do Programa de Pós Graduação em Estudos Literários da UFJF. As fichas de inscrição podem ser baixadas a partir do endereço www.ufjf.br/ppgletras/encontromundial/ e devem ser enviadas para encontromundialescritores@gmail.com.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que a realização de blitze seria a solução para fazer cumprir a lei que proíbe jogar lixo nas ruas?