Publicidade

08 de Dezembro de 2013 - 07:00

Rapper Tunin lança nova faixa amanhã na internet e fala sobre o cenário do rap em Juiz de Fora

Por JÚLIA PESSÔA

Compartilhar
 

Várias imagens da contemporaneidade, questões sociais e relatos extremamente confessionais. Dessa mistura, nasce "aviso aos navegantes", do rapper juiz-forano Tunin, que anuncia, logo no início da faixa: "escrevo por necessidade". Lançada nesta segunda na internet (soundcloud.com/samuelhonorato), a faixa, segundo Tunin, é um meio de reforçar suas próprias convicções. "Toco em vários assuntos cotidianos, da minha vizinha até o Mark Zuckerberg (risos). Mas também é uma mensagem para quem não entende que vivemos em uma diversidade e devemos respeitar o próximo e a nós mesmos", explica.

Para o rapper, o novo material é diferente de todas as suas outras composições, tendo uma linguagem mais direta e um "flow" (modo de inserir as frases na parte instrumental) mais "lento e despreocupado". "Estava mais atento à mensagem que tento passar e cheguei até a brincar que esta letra tinha sido psicografada, porque a escrevi em dois dias, algo inédito para mim. Tenho várias composições com uma linguagem mais metafórica, mas nessa decidi me expor um pouco mais, acho que muito pelo momento que estou passando, de grandes mudanças em minha vida pessoal, que se refletem no meu trabalho." Os instrumentais da música foram baixados da internet, um método que o artista não aprecia muito, mas faz questão de "citar todos os créditos", de Rise Up, por "Instrumental Hip-Hop Beat" .

Tendo conhecido o rap por causa de nomes como Gabriel, o Pensador e Racionais MCs, Tunin começou a "rabiscar algumas letras" lá pelos idos de 1995, vindo a integrar a banda Rajada Verbal depois de participar e vencer um concurso de rap promovido pela rádio comunitária Mega FM. "Mas não conto isso como início de carreira, já que nunca conscientemente pensei: "Vou ganhar dinheiro com isso". Ainda tenho muito a dizer, e a forma que me sinto mais à vontade pra me expressar é o rap. Então meu 'aviso aos navegantes' é que continuo disposto a contribuir com a cena de Juiz de Fora dentro das minhas possibilidades."

Otimista sobre as possibilidades para o rap local, Tunin acredita que Juiz de Fora está seguindo o caminho de outras cidades brasileiras, com novos MCs aparecendo e fortalecendo o trabalho de quem já estava há mais tempo no cenário. "O encontro de MCs é o grande palco para o gênero atualmente, e é uma iniciativa louvável feita de uma forma bem colaborativa, algo bem difícil de se ver. Tem muita gente boa." Segundo o rapper, o gênero em Juiz de Fora difere do que vem se tornando o padrão brasileiro, de rappers de classe média e alta falando sobre sua realidade. "Quem é contra ou não se identifica com isso. O rap se baseia em paz, amor, união e diversão."

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você é a favor da proibição de rodeios em JF, conforme prevê projeto em tramitação na Câmara?