Publicidade

17 de Janeiro de 2014 - 07:00

Ilustradores de todo o país aceitam o desafio de idealizar, desenhar e publicar 24 páginas de HQs em apenas 24 horas

Por JÚLIA PESSÔA

Compartilhar
 
A juiz-forana Anna Mancini se prepara para começar a produzir amanhã
A juiz-forana Anna Mancini se prepara para começar a produzir amanhã

A cada episódio da consagrada série de TV, o agente federal Jack Bauer consegue resolver, em meio a tiros, explosões e perseguições automobilísticas, os mais perigosos imbróglios em somente 24 horas. Guardadas as devidas proporções, riscos e efeitos especiais, quadrinistas de todo o país também vão dispor do mesmo tempo para vencerem um desafio: elaborar, colocar no papel e publicar 24 páginas de quadrinhos, a partir do meio-dia de sábado, dia 18. Na página do evento no Facebook, há mais de 200 usuários cadastrados para a versão brasileira do evento internacional "24-Hour Comic Day", realizado anualmente em outubro.

A ideia é que os participantes se cadastrem enviando um e-mail para 24horasdequadrinho@gmail.com, e-mail para onde também poderão enviar as postagens ao passo em que elas vão sendo feitas. Para a ilustradora juiz-forana Anna Mancini, 24 anos, poder acompanhar o processo de produção das histórias é um dos aspectos mais interessantes da proposta. "Esse formato de muitas pessoas produzindo juntas, ao mesmo tempo, é muito estimulante, motiva quem está participando. Até porque você sabe que todo mundo está sob as mesmas limitações."

Autodeclarando-se novata nos quadrinhos, Anna soube do projeto "24 horas de quadrinho" ao participar do Festival Internacional de Quadrinhos (FIQ) no ano passado, em Belo Horizonte. "Fiz contato com vários quadrinistas do Brasil, gente que faz um trabalho independente, se vira para publicar, faz por amor mesmo. Como eu também comecei a fazer e amar, achei essa proposta muito interessante e topei de cara", diz ela, explicando que toda a mobilização foi feita on-line, já que há participantes de diversos estados.

Durante a maratona, as histórias enviadas serão publicadas no endereço 24horasdequadrinho.tumblr.com e na página do grupo de quadrinistas no Facebook, com divulgação dos links também no Twitter, acompanhando o passo a passo da produção dos artistas. Para Anna, os desafios sugeridos são um estímulo não apenas à criatividade, mas à continuidade da produção. "Como eu, muita gente nunca deve ter produzido um volume assim, de 24 páginas. E a proposta de ter que fazer tudo neste período também é interessante porque muitas vezes temos uma ideia bacana, mas deixamos para criar depois e acabamos nos perdendo. Além disso, é uma ótima forma de os iniciantes terem seu trabalho divulgado e ingressarem em um networking de produtores de quadrinhos."

 

A algumas horas do evento, Anna espera que mais juiz-foranos decidam aderir ao mutirão quadrinista. Até o momento, ela é a única que confirmou sua participação. "Falei com alguns amigos que também desenham, mas quadrinho é sempre uma dúvida para quem ilustra, então não houve muito interesse. Seria ótimo se mais pessoas participassem, para que pudéssemos nos reunir e desenhar nestas 24 horas, aumentando ainda mais o intercâmbio de ideias no âmbito local."

A jovem ilustradora fala sobre as expectativas e anseios para as 24 horas de produção. "Fico com um pouco de medo, mas acho que é natural e comum a todos. A intenção é ver justamente o que se pode produzir fora da zona de conforto, ver o que pode sair do inusitado, sem qualquer ideia pré-definida."

Para Anna, que costuma se enveradar por temáticas feministas ou autobiográficas- "ainda que com muitos filtros"-, que podem ser conferidas em www.facebook.com/manzannna e manzannna.tumblr.com, em um esquema como este, não há como prever para onde seu traço a levará. "Tem gente que acaba indo por uma onda meio metalinguística, falando sobre o desafio de produzir assim, outras pessoas ficam satisfeitas com o resultado antes das 24 horas e param, há várias possibilidades."

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que campanha corpo-a-corpo ainda dá voto?