Publicidade

01 de Abril de 2014 - 06:00

Por Tribuna

Compartilhar
 
Cerâmica de Manuel Eudócio, de Caruaru, em Pernambuco, dialoga com cordel de Francisco Fernandes da Motta
Cerâmica de Manuel Eudócio, de Caruaru, em Pernambuco, dialoga com cordel de Francisco Fernandes da Motta

Tanto o cordel quanto a cerâmica são caracteristicamente nordestinos. Em "Imaginário do cordel", exposição que o Museu de Cultura Popular, do Forum da Cultura, expõe a partir de hoje, as duas linguagens artísticas se encontram para falar de uma região conhecida por seus cangaceiros, pela terra rachada e pela fé em santos populares. Além dos folhetos dos principais cordelistas brasileiros, como José João dos Santos (Azulão), João Melchíades Ferreira e Leandro Gomes de Barros, estão expostos, criando uma relação direta com o texto, esculturas do artesanato nordestino, como os famosos burrinhos feitos em cerâmica. Entre os textos, estão clássicos da literatura de cordel como "A vida e a morte do padre Cícero Romão Batista", de Raimundo Bezerra de Moura, e "Homenagem ao Frei Damião, o Santo do Nordeste", de Francisco Fernandes da Motta.

IMAGINÁRIO DO CORDEL Visitação de segunda a sexta, das 14h às 18h, até 4 de maio, no Forum da Cultura (Rua Santo Antônio 1.112 - Centro)

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você aprova o retorno de Dunga para o comando da Seleção Brasileira?