Publicidade

16 de Março de 2014 - 06:00

Crianças unem aprendizado e diversão na cozinha em cursos de gastronomia e programas de TV

Por JÚLIA PESSÔA

Compartilhar
 
Luísa Gisesteira é uma das apresentadoras do "Tem criança na cozinha", do canal Gloob
Luísa Gisesteira é uma das apresentadoras do "Tem criança na cozinha", do canal Gloob

Com rastros de farinha no delicado nariz e margeando o sorriso, Beatriz Lacerda Guiducci, de 7 anos, sabe bem do que mais gosta na cozinha: "Pôr a mão na massa". Na última segunda-feira, ela e o colega Henrique Zanetti, 10, prepararam biscoitos amanteigados do tipo "goiabinha", sob a supervisão de André Aguiar e Janayna Freire, da confeitaria Cake's. "Essa aula está perfeita para mim, já gostava de fazer doces e agora estou aprendendo a variar", diz o miniculinarista. Na cozinha que também é sala de aula, Henrique e Beatriz participam de cada etapa da receita: medem ingredientes, misturam, sovam a massa, moldam os biscoitos, em uma das quatro aulas de doces ministradas por André.

O cake designer baiano conta que, ao pensar em abrir turmas para crianças, buscou passar para os pequenos um pouco da experiência que ele próprio teve quando menino. "Minha mãe era uma boleira de mão cheia, mas fazia muito segredo de suas receitas. Um dia, ela precisou de ajuda e me chamou, e fui ficando ali, não só observando, mas também fazendo, e fiz daquele aprendizado uma carreira." Notando o "boom" de iniciativas do gênero em centros como Rio e São Paulo, além da popularidade de programas de culinária infantis na TV, André investiu na ideia em Juiz de Fora. "Mas fiz questão que fosse algo de que eles participassem efetivamente da preparação das receitas, por isso todas elas são adaptadas para garantir isso. Muitos cursos privam as crianças de algumas etapas. É claro que é preciso estar atento o tempo inteiro ao fogão e a objetos cortantes, mas cozinhar é coisa de criança sim, desde que sob a supervisão de um adulto atento."

Para ele, além do próprio conhecimento culinário, o curso traz outros benefícios para os pequenos. "A alquimia dos ingredientes até que eles virem um prato encanta muito as crianças, e, ao cozinhar, elas passam a ter mais concentração e atenção aos detalhes, porque em uma receita tudo precisa ser medido, acompanhado. São benefícios que eles levam para a vida", opina André. Mãe de Henrique, a professora Márcia Zanetti comemora o entusiasmo do filho com a gastronomia. "É uma atividade lúdica e que traz conhecimento para ele, não só das receitas em si, mas da própria profissão. E estar na cozinha despertou ainda mais o interesse dele para atividades manuais e as artes em geral."

A turma em que Henrique e Beatriz estão matriculados, com mais quatro alunos, tem ainda dois módulos de doces pela frente, e André prepara, para os próximos meses, aulas de iguarias salgadas. A cada encontro, os alunos levam uma receita com infográfico lúdico para casa e, é claro, uma amostra das delícias preparadas. Além do biscoito goiabinha - cujo aroma adocicado tomou toda a confeitaria enquanto assava -, os pequenos chefs prepararam também o cake pop, Receita de Família deste domingo (ver ao lado).

 

'Pais são os maiores influenciadores'

Para a chef e nutricionista infantil Denise Haendchen, que fundou a Mini Gourmet em Higienópolis (SP), meninos e meninas de qualquer idade podem se beneficiar das aulas, ministradas em um buffet infantil. "Qualquer criança pode cozinhar com a ajuda de um adulto. Cozinho com crianças bem pequenas, a partir de 1 ano. A cozinha envolve diversas áreas: matemática, biologia, física e química. Mas o maravilhoso da cozinha é que todos podem (e deveriam) cozinhar."

Ela acredita também que a alta da gastronomia em todo mundo também contribui para despertar o interesse dos pequenos. "A gastronomia está em todo lugar, seja nas revistas, livros, programas infantis na TV. Hoje em dia, uma criança de 5, 6 anos já foi a inúmeros restaurantes, viajou, experimentou frutas e comidas exóticas. Ainda assim, de maneira geral, os pais são os maiores influenciadores", aponta a especialista.

Hit do canal fechado Gloob, o programa "Tem criança na cozinha", exibido de segunda a sexta às 19h30, tem despertado a curiosidade de muitos brasileirinhos e brasileirinhas pelo que se passa entre os mais variados ingredientes e panelas, assadeiras e tantos outros utensílios. Na atração, Luísa Giesteira (15 anos), Edu Martins (11) e Luigi Montez (9) ensinam como fazer iguarias doces e salgadas com linguagem descomplicada e, invariavelmente, muita diversão.

"Acho que a mensagem do programa é: 'cozinha não é um bicho de sete cabeças, mesmo para as crianças'. Além disso, ela é um lugar ótimo para o desenvolvimento infantil e também para juntar a família", opina Luísa, que aprendeu a cozinhar na beira do fogão da avó, ainda pequena. Hoje é diferente, passei de espectadora para quem faz de verdade. Tive que aprender muito e nem sempre foi fácil, mas acho que estou conseguindo passar as receitas direitinho", diz a adolescente. Para ela, o contato com a cozinha também é aliado dos pais em uma difícil tarefa: fazer com que os filhos tenham uma alimentação saudável. "Quanto mais perto as crianças ficam do preparo das comidas, mais elas se preocupam com o que estão comendo. Não adianta os pais quererem empurrar frutas e legumes para seus filhos se eles não apresentam esses alimentos para as crianças." No que depender do entusiasmo com a gastronomia, o equilíbrio dos hábitos alimentares da pequena juiz-forana Beatriz está garantido: "A próxima aula já pode ser amanhã?", indaga ela, enquanto saboreia um biscoito goiabinha recém-saído do forno.

Galeria de Imagens

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você já presenciou manifestações de intolerância religiosa?