Publicidade

04 de Julho de 2014 - 06:00

Coletânea 'The best of Rock Factory', financiada por meio de crowdfunding, será lançada neste sábado, reunindo 15 bandas

Por JÚLIO BLACK

Compartilhar
 
Bandas locais disponibilizaram uma música cada para a coletânea, que fechou a arrecadação em apenas seis dias
Bandas locais disponibilizaram uma música cada para a coletânea, que fechou a arrecadação em apenas seis dias

A internet vai muito além dos memes do Facebook, a conversa fiada do Skype, a foto do miojo no Instagram ou a terra arrasada do Orkut: é por meio da rede mundial de computadores que muita gente se mobiliza em iniciativas legais. Uma delas é o crowdfunding, modalidade de arrecadação por meio da web que permite a concretização de diversos projetos, dos culturais aos sociais. Do movimento "Queremos!", que já trouxe ao Brasil dezenas de shows (The Breeders, Primal Scream, Dirty Projectors, Belle and Sebastian, Tame Impala), ao Autoramas (que financiou disco e DVD por meio da modalidade), convocar os fãs para ajudarem na concretização de um projeto pode ser o meio mais rápido de alcançar um objetivo. É o que descobriu o pessoal da festa Rock Factory, que utilizou o crowdfunding para financiar a coletânea "The best of Rock Factory", que tem lançamento neste sábado, às 22h, no Bar da Fábrica, com shows de Glitter Magic (que organiza o evento há um ano e meio), Hard Desire, Kymera e Usversus.

Guitarrista do Glitter Magic, Luqui Di Falco conta que a ideia para o crowdfunding surgiu no final do ano passado ao perceberem o sucesso da empreitada por parte do Forfun, que conseguiu arrecadar a verba necessária para a produção de um DVD. A partir daí, foi feito o orçamento para saber quanto seria necessário para realizar a coletânea: precisando de R$ 2 mil, a campanha foi iniciada em 15 de maio (com valores entre R$ 10 e R$ 150) e, apenas seis dias depois, a meta já havia sido alcançada. No total, a arrecadação por meio dos 62 "amigos" que contribuíram foi 50% superior ao planejado, permitindo a prensagem de 500 CDs com qualidade gráfica superior.

"Sabíamos que seria viável pela união das bandas que participariam. Dessa forma, teríamos uma divulgação ampla e massiva. Além disso, enxergamos que a cidade está num momento muito propício para o rock autoral. O público tem consumido o produto local e abraçou totalmente a ideia. No primeiro dia de campanha, vimos que seria um sucesso", destaca.

Quem também acredita que a união entre as bandas foi fundamental para o projeto deslanchar é um dos integrantes da Hard Desire, Dê Monteiro. "É possível juntar todo mundo que acredita em um objetivo e fazer dar certo, sem ônus pesado para ninguém. Participamos do merchandising, puxamos o gancho de termos fãs e amigos que apoiam a cena local, divulgamos muito. Que bom que conseguimos."

O sucesso da iniciativa, acredita Luqui, se deve à simplicidade do esquema de crowdfunding. "Nós queríamos fazer esse projeto para mostrar ao público juiz-forano que essa potente ferramenta é muito fácil de ser trabalhada quando se tem um projeto consistente em mãos. O fato de o público poder escolher quanto vai pagar e ainda ganhar recompensas por isso inverte a dinâmica convencional do mercado", argumenta. Como apenas uma banda de rock não faz verão, era preciso que outros artistas vestissem a camisa preta e também fossem à luta.

Com estilos que vão de pop rock ao hard rock e as inúmeras variações do metal, artistas que já se apresentaram no "Rock Factory" (Hard Desire, Martiataka, Visco, Fearless, Suíte Bar, Kymera, Hagbard, Insannica, Crusher, Usversus, Bad Bloxx, Montreux, Vivenci e Blitz Wölfe) se juntaram à galera do Glitter Magic para a concretização da coletânea. Exigências? Ter trabalho autoral. "Algumas bandas já haviam lançado álbuns, outras não. Acabou que serviu de incentivo para uma galera", observa Luqui.

 

 

Exemplo para projetos futuros

A união das bandas dentro do projeto, para Luqui Di Falco, tem entre seus benefícios o fato de que serão 15 os grupos a conseguirem divulgação entre os fãs de rock, o que também mostraria como a cidade está repleta de novos talentos, além de passar credibilidade - que pode ser decisiva na hora de alguém tentar se aventurar sozinho para arrecadar uns reais para um álbum só seu. "É totalmente viável arriscar um álbum próprio dentro desse esquema, ainda mais para bandas que já possuem seu público formado."

Dê Monteiro acrescenta, ainda, que o sucesso na execução do crowdfunding para a coletânea é sinal de que a cena local tem, hoje, consciência de como a ação coletiva pode render frutos. "As coisas estão começando a funcionar como devem, mesmo havendo alguma resistência ou conflitos de interesses. Mesmo não sendo o ideal e achando que ainda podemos ser muito mais unidos, as coisas já estão acontecendo. Onde colocamos a mão para fazer funcionar, funciona. Hoje temos nosso espaço conquistado com muito trabalho e dedicação."

 

THE BEST OF ROCK FACTORY

 

Lançamento neste sábado, às 22h

 

Bar da Fábrica

(Praça Antônio Carlos - Centro)

 

 

 

Galeria de Imagens

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que o subsídio do Governo vai alavancar a aviação regional?