Publicidade

22 de Abril de 2014 - 06:00

Por Tribuna

Compartilhar
 
Copa de Elite ironiza diversas produções nacionais, mas com cautela
Copa de Elite ironiza diversas produções nacionais, mas com cautela

Inspirado na fórmula de Hollywood em filmes como "Todo mundo em pânico", que ironiza as próprias produções norte-americanas, "Copa de elite", longa de Vitor Brandt, está em cartaz na cidade. Com Marcos Veras e Júlia Rabello, casal do coletivo Porta dos Fundos, e o apresentador e o polêmico comediante Rafinha Bastos no elenco, a produção faz paródia de filmes como "Tropa de elite", "Bruna Surfistinha", "Chico Xavier" e "Minha mãe é uma peça". No entanto, segundo a equipe de produção do longa, a ironia foi moderada já que, culturalmente, o Brasil está menos disposto a rir de si mesmo do que os Estados Unidos. Com isso, "Copa de elite" pegou leve com os filmes nacionais para evitar ofender seus elencos e equipes. No filme, Veras interpreta uma versão do Capitão Nascimento vivido por Wagner Moura em "Tropa de Elite", de José Padilha. Na trama, ele tenta evitar a morte do papa durante a Copa do Mundo, em uma abordagem que fala pouco sobre política e absolutamente nada sobre os protestos contra o evento da Fifa.

COPA DE ELITE. UCI 1: 15h10 e 19h30 (todos os dias). Palace 1: 14h, 16h, 20h e 22h. Classificação: 14 anos

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você já presenciou manifestações de intolerância religiosa?