Publicidade

17 de Junho de 2014 - 06:00

30 concertos, palestras, cursos, lançamento de dois livros e X Encontro de Musicologia Histórica marcam a 25º Festival de Música Antiga

Por JÚLIO BLACK

Compartilhar
 
Duo Sá de Percussão está entre as atrações nacionais, no dia 18 de julho
Duo Sá de Percussão está entre as atrações nacionais, no dia 18 de julho
A finlandesa Helsinki Baroque Orchestra é  destaque, no dia 17 de julho, na Igreja do Rosário
A finlandesa Helsinki Baroque Orchestra é destaque, no dia 17 de julho, na Igreja do Rosário

O Centro Cultural Pró-Música/UFJF divulgou as atrações da 25ª edição do Festival Internacional de Música Colonial Brasileira e Música Antiga, que será realizado em Juiz de Fora entre os dias 14 e 27 de julho em vários pontos da cidade, como o Cine-Theatro Central, a Igreja do Rosário e o Parque Halfeld. No total, serão mais de 30 concertos gratuitos, além de palestras, cursos, lançamento de dois livros e o X Encontro de Musicologia Histórica.

Segundo um dos diretores do Pró-Música, Júlio César de Souza Santos, um dos grandes destaques do festival vai se apresentar logo no dia de abertura, quando a Orquestra Barroca do Festival vai interpretar - sob regência de Luís Otávio Santos - composições de Beethoven e Mozart com instrumentos de época, os mesmos que serão utilizados na gravação do 15º disco da orquestra. Outro nome que merece atenção é o do cravista holandês Jacques Ogg, também professor do Conservatório Real de Haia, que tem recital previsto para 16 de julho na Igreja do Rosário. No repertório em homenagem aos 300 anos de nascimento de Carl Phillip Emmanuel Bach, apenas obras do músico e compositor alemão, filho de Johann Sebastian Bach. "Jacques Ogg é uma das maiores autoridades de música antiga na Europa, sempre incentivou o surgimento de novos artistas ao redor do mundo, com muitos indo estudar na Holanda, caso de três músicos de Juiz de Fora", disse Júlio, lembrando que um desses ex-alunos é exatamente o atual regente da Orquestra Barroca do Festival. "Luís Otávio esteve em Haia há 20 anos e hoje desenvolve um trabalho com instrumentos de época aqui no Brasil."

Há espaço no festival, ainda, para outra atração vinda do exterior: a finlandesa Helsinki Baroque Orchestra, em 17 de julho, também na Igreja do Rosário. Com mais de 15 anos de existência, eles estarão na cidade após apresentações em festivais em Portugal, na Inglaterra e Eslovênia. Dentro do cenário nacional, entre as atrações estão o Quinteto Villa-Lobos (15 de julho), Duo Sá de Percussão (18 de julho), Orquestra Petrobras Sinfônica (20 de julho), Orquestra Sesiminas (22 de julho) e Orquestra Filarmônica de Minas Gerais (27 de julho), todos no Cine-Theatro Central. Algumas das apresentações ao ar livre serão feitas no Parque Halfeld, com a presença, entre outros, do Triunvirato Power Trio, Quarteto Jazz Crimes e a Orquestra Sinfônica Pró-Música/UFJF. Na concha acústica do campus da UFJF, serão realizadas, em 20 de julho, três apresentações: Orquestra Escola Pró-Música/UFJF, Camerata Pró-Música/UFJF e Orquestra de Jazz Pró-Música/UFJF.

 

 

Cursos, palestras e livros

Para quem quiser se aprofundar ainda mais no espírito da música, foram disponibilizadas 700 vagas para 36 cursos de instrumentos ou questões diversas ligadas à música, ministrados por músicos participantes do festival. Além de Jacques Ogg, também são responsáveis pelos cursos o professor francês Georges Barthel (traverso) e os norte-americanos Keith Allen Teepen (piano), Ashley Sandor Sidon (violoncelo), Yi-Ping Chen (oboé), Clarence Padilla (clarineta), Stephanie Willow Patterson (fagote) e Heather B. Suchodolski (trompa). Quem desejar participar das atividades pode fazer inscrição no site www.promusica.org.br. As quatro palestras programadas pela organização serão realizadas no Instituto Granbery.

Dentro da área acadêmica, será realizado no Mamm, entre 18 e 20 de julho, o X Encontro de Musicologia Histórica, com nove trabalhos selecionados pela comissão formada por pesquisadores, professores e coordenadores do evento. O festival também será marcado pelo lançamento de dois livros. "Anais do 9º Encontro de Musicologia Histórica" traz o registro das palestras e demais eventos do encontro realizado em 2012. Já "Pró-Música 40 anos - Milhares nos palcos, milhões na plateia" comemora o quadragésimo aniversário da instituição. "É um registro do trabalho realizado pelo Pró-Música nesses 40 anos, dentro de um festival organizado pela instituição que é reconhecido em todo o país, tendo sido premiado várias vezes", afirma Júlio César, para quem o Festival Internacional de Música Colonial Brasileira e Música Antiga é uma excelente oportunidade para o população ter contato não apenas com grandes nomes nacionais e internacionais, mas também com os talentos locais.

Galeria de Imagens

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que os resultados do programa "Olho vivo" vão inibir crimes nos locais onde estão as câmeras?