Publicidade

02 de Fevereiro de 2014 - 07:00

Por Tribuna

Compartilhar
 
Zezé do Pandeiro comemora 70 anos unindo escolas locais e homenageando o amigo Flavinho da Juventude
Zezé do Pandeiro comemora 70 anos unindo escolas locais e homenageando o amigo Flavinho da Juventude

Samba-enredo da extinta escola Unidos dos Passos, "Exaltação ao Rio São Francisco" rendeu o campeonato da agremiação e atenção da cantora Elza Soares, que resolveu gravar a música dois anos após o desfile, em 1979, no disco "Senhora da terra". Assinada por Waltinho, João Leonel e Zezé do Pandeiro, o samba é um dos muitos sucessos do intérprete que carrega um instrumento no nome e a história do carnaval de Juiz de Fora em sua história. Para comemorar sete décadas de vida, Zezé do Pandeiro organiza hoje um encontro entre mestres-salas, porta-bandeiras, intérpretes e baterias das escolas de samba locais. "Na passarela, nós disputamos, mas no dia a dia somos todos irmãos", comenta, dizendo que a renda obtida com a venda de ingressos para o evento será convertida em doação ao amigo Flavinho da Juventude, que enfrenta diversos problemas de saúde. Preparando-se para entrar na avenida representando no gogó as agremiações Feliz Lembrança, do Grupo B, e Turunas do Riachuelo, do Grupo A ("No passado elas foram rivais, e, hoje, tenho a responsabilidade de uni-las pela minha voz", diz), Zezé do Pandeiro ainda se orgulha da cena carnavalesca da cidade e espera um futuro glorioso, como foi o passado que ajudou a escrever: "Precisamos resgatar o nosso carnaval, e isso só será feito com a renovação".

"Zezé do Pandeiro: 70 anos de vitórias", hoje, a partir das 12h, na quadra da escola de samba Turunas do Riachuelo (Rua Farmacêutico Vespasiano Pinto Vieira 50 - Centro)

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você concorda com a multa para o consumidor que desperdiçar água, conforme anunciou o Governo de São Paulo?