Publicidade

13 de Fevereiro de 2014 - 07:00

Novo livro de Maria Helena Sleutjes reflete o encontro com o outro

Por RENATA DELAGE

Compartilhar
 

"Há um banco de jardim, posto no Infinito. Para lá se dirigem os amantes, ela e ele. Encontrar-se-ão? Têm um longo e atribulado caminho a percorrer", reflete o escritor Luiz Almeida, definindo, assim, o livro "Encontrar...encontrar-se" como um "diário de bordo". A obra, quinta que passeia pela literatura adulta assinada pela poeta Maria Helena Sleutjes, será lançada nesta sexta, às 18h, na nova sede da Livraria Liberdade.

"Sim, essa é uma odisseia amorosa, em que os deuses comprazem num encontro para além das meras possibilidades humanas, quando o 'eu' e o 'outro' são obra da mais genuína criação poética", prossegue Almeida, ao se aprofundar nos mares de versos e poesia profunda desbravados pela autora.

A proposta da obra, segundo ela, é lançar o leitor à reflexão de quem é este outro que todos nós, de alguma forma, buscamos. "Alguns chamam de alma gêmea. Mas a ideia é refletir se ele realmente existe ou se o temos dentro de nós, idealizado, e o projetamos em outra pessoa", avalia Maria Helena. "Tudo isso, é claro, não invalida o encontro com esse outro, identificado com as nossas expectativas ou não, mas sempre muito especial, já que não é qualquer pessoa que é capaz de suscitar sentimentos românticos", diz.

Duas vozes, feminina e masculina, se contrapõem e se refletem a todo tempo no diálogo poético estabelecido pela autora. Na busca por tal encontro, nasceu Marcelo Ayala, heterônimo de Maria Helena, idealizado especialmente para a obra. "Tenho vários intertextos com poetas, nessa linha mais lírica. Quando propus a um deles escrevermos o livro, ele ficou um pouco amedrontado e não topou", conta. Conversando com a família sobre a frustração do projeto, acabou por ouvir do filho algo que a fez refletir. "Ele sugeriu que eu me perguntasse se realmente precisava de outro poeta para realizar esse projeto."

Marcelo Ayala assumiu, então, os versos masculinos da obra, e sua identidade é revelada apenas ao fim da publicação. "Na anarquia/ do quarto de um homem insone,/ uma única figura/ de mulher habita. E ela se assenhora de tudo:/ do dia, da noite e da aurora,/ dos pensamentos,/ das vontades,/ e dos desejos emudecidos", escreve o heterônimo.

A obra é a primeira publicada pelo selo editorial Gryphon Edições, idealizado pela autora. A edição especial e limitada foi editada, segundo Maria Helena, com toda a atenção. "Foram impressos apenas 250 exemplares numerados. A ideia é publicar obras com conteúdo em uma forma diferenciada. Com o aparecimento dos livros on-line, a tendência é que os exemplares de papel se tornem algo cada vez mais especial, um presente, um mimo", observa.

Além dos autógrafos, a noite conta com apresentação do músico Luciano Baptista e encenação de poemas por Samanta Cruz Smith e José Olavo Smanio Brando, participantes do grupo Café Com Poesia (e Arte).

ENCONTRAR...ENCONTRAR-SE

Lançamento do livro poesias, de Maria Helena Sleutjes

Sexta, às 18h

Livraria Liberdade

(Rua Benjamin Constant 801)

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você é a favor da proibição de rodeios em JF, conforme prevê projeto em tramitação na Câmara?