Publicidade

01 de Julho de 2014 - 06:00

Por Tribuna

Compartilhar
 
A partir da relação entre Mary, de 8 anos, e Max, de 44, a animação trata de autismo, alcoolismo, obesidade, cleptomania e confiança
A partir da relação entre Mary, de 8 anos, e Max, de 44, a animação trata de autismo, alcoolismo, obesidade, cleptomania e confiança

A programação da mostra "Animação sem paredes" continua, hoje, às 19h, no Centro Cultural Bernardo Mascarenhas, com a exibição de "Mary & Max - Uma amizade diferente". Com direção de Adam Elliot, a produção traz a história de Mary Daisy Dinkle (Toni Collette), uma menina solitária de 8 anos, que vive em Melbourne, na Austrália, e o solitário Max Jerry Horovitz (Philip Seymour Hoffman), de 44 anos, obeso, com síndrome de Asperger. Ele vive em Nova York e sonha em morar na Lua, "para não ter contato com as pessoas." Mesmo com tamanha distância e a diferença de idade existente entre eles, os dois desenvolvem uma forte amizade, que transcorre de acordo com os altos e baixos da vida. O filme trata de autismo, alcoolismo, obesidade, cleptomania, confiança, entre outros assuntos. Toda terça, até 12 de agosto.

MARY & MAX. Hoje, às 19h, no CCBM (Av. Getúlio Vargas 200)

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você é a favor de fechamento de pista em trecho da Avenida Rio Branco para ciclovia nos fins de semana?