Publicidade

05 de Janeiro de 2014 - 07:00

Rejane Granato planeja usar seu trabalho em prol de produções artísticas em espaços marginalizados

Por MARISA LOURES

Compartilhar
 
Rejane é estudiosa da obra de Arthur Bispo do Rosário
Rejane é estudiosa da obra de Arthur Bispo do Rosário

Disparada por Waly Salomão, a frase que dá título a esta coluna é a mesma que estampa a imagem de capa do facebook de Rejane Granato, de 37 anos. O registro foi feito em novembro, durante a Feira Literária das Periferias (Flupp), que, em 2013, foi realizada em Vigário Geral, no Rio de Janeiro. As palavras parecem comprovar outras usadas pela professora do curso de arquitetura do Centro de Ensino Superior de Juiz de Fora (CES) e do Colégio Militar para se caracterizar.

"Acho que tenho uma inquietação interna que me propulsiona a sempre buscar novos caminhos. Quando contrario esta natureza, normalmente sofro muito", comenta, explicando a sentença. "Foi a primeira vez que participei deste evento, que, normalmente, ocorre em comunidades ainda não submetidas ao polêmico projeto de pacificação empreendido pelo Governo e sobre as quais paira, constantemente, o fantasma da violência e da barbárie. Visitar, sozinha, um território como este significou uma transposição de fronteiras. A frase traduz meu sentimento de vitória em relação aos meus próprios medos. 'Agarrar o sol com a mão' era poder tocar algo intocável, era ser capaz de segurar a vida em sua mais sublime incandescência."

Juiz de Fora é a cidade onde Rejane graduou-se em artes, fez mestrado e doutorado em estudos literários. Antes de vir para cá, morou em Rio Pomba e Anápolis (Go), sua terra natal. Quando está com a família, gosta de conversar e curtir programas ao ar livre. Se ela já tem projetos para este novo ano? "Pretendo trabalhar para que minha pesquisa possa contribuir, de alguma forma, para o enriquecimento do debate em torno de produções artísticas situadas em territórios marginalizados pela cultura", afirma a estudante da obra de Arthur Bispo do Rosário. O artista ocupa posição central no debate sobre preconceito e os limites entre a insanidade e a arte no Brasil.

Autor

Jean Yves- Loude

Os relatos de viagem desenvolvidos por este antropólogo e escritor francês se apresentam como uma rica e instigante tentativa de indagação em torno da questionável hegemonia de uma suposta História Oficial

Filme

Indomável sonhadora, de Benh Zeitlin

Filme simples, mas pungente no que tange às indagações em torno dos desafios crucias da existência

Cineasta

Lars von Trier

Gosto de sua forma peculiar de abordar questões sutis. Considero seu filme "Dancer in the dark" uma das maiores obras de arte de nosso tempo

CD

"Recanto - Ao vivo", da Gal Costa

A regravação da música "Divino maravilhoso" ficou incrível!

DVD

"Martnália em África"

Este documentário musical é uma verdadeira viagem em busca das raízes ancestrais da música brasileira

Blog

blogdosakamoto.blogosfera.uol.com.br

Este jovem escritor, com sua perspicácia e imensa capacidade crítica, tem sido um dos mais contundentes indagadores da sociedade brasileira atual

Vídeo

"Chimamanda Adichie: O perigo da história única"

Mostra o discurso de uma escritora africana em torno da importância de se conhecer as múltiplas faces da história

Artista plástica

Adriana Varejão

Uma das mais intrigantes e questionadoras artistas brasileiras da contemporaneidade

Museu

Museu do Oratório, de Ouro Preto

A visita a este pequeno museu foi para mim uma inesquecível viagem pelo imaginário sacro mineiro

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você concorda com o TJ, que definiu que táxi não pode ser repassado como herança?