Publicidade

13 de Julho de 2014 - 07:00

No Rio há cinco anos, ator Fred Bilheri planeja investir na arte juiz-forana

Por MARISA LOURES

Compartilhar
 
Fred estreia, no início de 2015, a peça "Santidade e perdição", do juiz-forano Léo Mota
Fred estreia, no início de 2015, a peça "Santidade e perdição", do juiz-forano Léo Mota

"Os profissionais de cada área devem se unir para suprir as carências locais." É com esse pensamento que o ator juiz-forano Fred Bilheri, residente na capital carioca há 5 anos, abraça o projeto "Santidade e perdição", ao lado de parceiros, como Léo Mota (autor de texto homônimo), Pri Helena, Adryana Ryal, Mauricio Ribeiro e Márcia Mello. De fora, a expectativa dos companheiros é a de que o reforço venha com nomes, como Jô Bilac (consultoria dramatúrgica), Roberto Birindelli (preparação corporal), Ronald Teixeira (cenógrafo), Antônio Guedes (figurinos), Renato Machado (iluminador), Marcela Casarim (coordenadora de produção) e Beto Carramanhos (visagismo). Fred conta que a proposta ultrapassa a realização de um espetáculo programado para estrear no primeiro semestre de 2015 em Juiz de Fora, Rio de Janeiro, São Paulo e Vitória. "Além de complementar a formação dos profissionais da cidade através do contato com os melhores do eixo Rio-São Paulo, podemos produzir eventos culturais genuinamente juiz-foranos. Em resumo, a ideia é simples, unir para capacitar e, posteriormente, fazer melhor e localmente", comenta ele, planejando, também, bater ponto na TV. "Cada meio tem suas magias e sinto a necessidade de compreendê-las e experimentá-las."

Antes de ingressar na Casa das Artes de Laranjeiras (CAL), cursar artes cênicas na Escola Técnica Estadual Martins Pena, partir para o bacharelado em interpretação pela Unirio, fazer canto e dança, Fred não sonhava com os palcos. Seu destino estava sendo desenhado na advocacia, pois formou-se em direito na Universidade Federal de Juiz de Fora. "Aproveitei uma ida ao Rio e voltei decidido a ser ator", diz ele, que hoje se aventura, também, em produção. Seu mais recente trabalho como ator foi em "Resquícios", espetáculo baseada na obra "Marcovaldo", de Ítalo Calvino, com direção de Carmen Frenzel, roteirista de "Garotas de programa" (2000), da Rede Globo, e atriz de "Belíssima" (2005) e outras produções globais. "Inicio a criação dos personagens por meio da compreensão psicológica dos seus conflitos pessoais e da história da peça. A partir daí, começa um complexo e árduo processo de observação, experimentação e assimilação física."

 

Vídeo na internet - "Fernanda Montenegro - Uma dica para atores"

Fernanda Montenegro fala com maestria sobre a necessidade de o artista se questionar sobre sua real vocação

 

DVD -"Na batucada da vida", de Elis Regina

Elis é símbolo de brasilidade, é atemporal e universal

 

Peça de teatro - "Gonzagão - A lenda", do grupo Barca dos Corações Partidos

Mais do que uma peça teatral, é um mergulho na cultura nordestina.

 

Espaço cultural - Centro Cultural Banco do Brasil

Presente em várias capitais, é um espaço amplo e acessível onde se disponibiliza toda a pluralidade das artes

 

Livro - "A revolução dos bichos", de George Orwell

Eleito um dos melhores romances satíricos da língua inglesa, é um ótimo livro para esse momento pré-eleitoral

 

Escritor - Ítalo Calvino

O escritor cubano é plural e possui uma escrita singular. Questiona o mundo ao seu redor através de artigos e obras ficcionais

 

Site - www.portadosfundos.com.br

Humor que não agrada a todos, mas que certamente quebra muitos tabus

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você concorda com a retirada das pinturas de Lucio Rodrigues dos pontos de ônibus?