Publicidade

07 de Maio de 2014 - 06:00

Pianista Rafa Castro toca autorais em show instrumental do projeto Mascarenhas Minha Música

Por JÚLIA PESSÔA

Compartilhar
 
Instrumentista prepara repertório de Música Popular Brasileira com influências de jazz
Instrumentista prepara repertório de Música Popular Brasileira com influências de jazz

Em um país que cultua artistas como celebridades e ainda torce um tanto o nariz para trabalhos autorais, fazer músicas próprias e, ainda por cima, instrumentais, é um desafio, mas também uma tarefa a que uma geração de músicos da cidade tem se dedicado com afinco. "É um trabalho difícil de circular, com poucos espaços, e isso é uma realidade do Brasil inteiro. Mas essa música é nossa verdade, é aquilo em que acreditamos, então acabamos conseguindo furar as barreiras", diz o pianista Rafa Castro, que se apresenta hoje no CCBM, às 20h30, no projeto Mascarenhas Minha Música, voltado para a divulgação da música local.

Para Rafa, formado pela Bituca Universidade de Música Popular e vencedor do Prêmio BDMG Instrumental em 2011, a apresentação marca um amadurecimento de sua carreira como músico. "É a primeira vez que vou apresentar meu trabalho não só como instrumentista, mas também como compositor e arranjador, marca uma fase em que estou conseguindo apresentar as minhas composições, uma nova direção para a minha carreira." No repertório, gêneros essencialmente brasileiros como o samba, o baião e o frevo - entre outros - flertam com a universalidade da música popular internacional, com toques de jazz e outras referências da música instrumental mundial. "Vou mostrar trabalhos autorais meus e também parcerias não só com instrumentistas, mas com letristas, que foram adaptados para uma versão instrumental", adianta Rafa.

Dividindo com Rafa o palco e referências, influências, composições e quilômetros de estrada musical, estarão Caetano Brasil (clarinete e sax), Adalberto Silva (baixo) e Gladston Vieira (bateria). "Além de grandes músicos, eles são grandes amigos e grandes parceiros. Estamos inseridos em vários projetos juntos, e é muito bacana ter pessoas tão próximas dividindo os mesmos sonhos, anseios e conquistas. Somos nossos principais incentivadores", diz o pianista.

 

Apesar de ainda haver entraves e dificuldades, Rafa vê com otimismo a evolução dos espaços para a música local. "Existe uma cena muito forte de compositores em Juiz de Fora, seja na música instrumental ou não. Há muita conversa, muita troca de influências e parcerias, e fico muito feliz de fazer parte desta geração", conta o instrumentista, que atribui uma certa efervescência musical na cidade à busca dos artistas pelo frescor em seus trabalhos. "Vejo um pessoal que trabalha muito em suas próprias canções, que tenta fazer sempre algo novo em música, e isso acaba ganhando a atenção das pessoas. Sempre haverá olhares para o que é novo."

Além de seguir fazendo shows no formato da apresentação de hoje, Rafa Castro se prepara para lançar o CD e o DVD do projeto "Teias", em que toca a quatro mãos com o veterano Túlio Mourão, que já se apresentou ao lado de grandes ícones da música brasileira, como Mutantes, Clube da Esquina e Raul Seixas. Rafa também acabou de gravar com Caetano Brasil o disco instrumental "Frater", ainda sem data de lançamento. Preparando-se para ver uma de suas criações ganhar terras além-mar, o pianista terá uma de suas composições gravada pela cantora juiz-forana Nêga Lucas, que vive na Espanha. "É a música quebrando fronteiras", comemora Rafa.

 

RAFA CASTRO

 

Hoje, às 20h30

 

CCBM

(Av. Getúlio

Vargas 200)

 

 

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você é a favor da liberação da maconha para uso medicinal?