JF. quinta-feira 25 mai 2017
OUÇA AGORA
Publicidade
17 de maio de 2017 - 19:57

De olho em vagas no Brasileiro

Dezessete atletas de academia em Benfica buscam medalhas na etapa final do Campeonato Mineiro; resultado pode garantir passaporte para competição nacional
Por Bruno Kaehler
esp-taekwondo---marcelo

Da esquerda para a direita, os atletas Matheus Silva, Thaís Brazolino, Nathália Grazzia, Isabelly Vitória, Luiza Bicalho e Danielly Vitória (Foto: Marcelo Ribeiro)

Atletas de uma academia juiz-forana, no Bairro Benfica, na Zona Norte de Juiz de Fora, irão defender as cores da cidade na etapa final do Campeonato Mineiro de Taekwondo neste fim de semana. Ao todo, 17 atletas de diferentes graduações irão para Betim atrás das primeiras posições no torneio estadual que será realizado neste sábado (20) e domingo (21), reunindo alguns dos principais nomes da modalidade do estado. Além disso, o evento, que possui chancela da Federação de Taekwondo de Minas Gerais (FTKDMG), apresenta outra atração. Os campeões na faixa preta irão garantir vaga no Campeonato Brasileiro, a ser disputado de 23 a 25 de junho, em Londrina (PR).

O grupo local é orientado e monitorado pelo casal da MM Academia, Mestre Marcelo de Souza Bicalho, 43 anos, e a professora de taekwondo e engenheira civil Marcélia Bertolato, 48. A disciplina e o entrosamento são cartas na manga da dupla. Entre os integrantes da delegação juiz-forana, há campeãs não apenas estaduais, como brasileiras, casos de Danniely Vitória e Luiza Bicalho.

“Trabalhamos na academia desde 2000 com essa equipe de atletas. E toda arte marcial ensina uma disciplina que podemos chamar de militar. Brincamos aqui até nas flexões eles falam dez vezes ‘obrigado, senhor’. Assim conseguimos controlá-los”, conta o Mestre Marcelo. O profissional lembrou ainda a necessidade do foco no torneio, visto que será realizado em eliminatória simples. Cada atleta derrotado é eliminado, no popular sistema de mata-mata.

Ansiedade na estreia

Entre os atletas está Thaís Brazolino, 21. A jovem já conta as horas para entrar em ação pela primeira vez no Mineiro após experiências em disputas regionais. “Primeiramente é um desafio. Treinar aqui nos faz aprender as técnicas, mas em competição é totalmente diferente. É hora de colocar em prática o que você aprendeu de verdade. Será meu primeiro Mineiro e estou ansiosa, acho que posso enfrentar outras atletas de um nível maior que o meu, mas faz parte, assim como a ansiedade, preocupação de mostrar nosso melhor. Quero ir ganhando as graduações e pretendo subir em nível nacional e, quem sabe, internacional”, relata Thaís, que irá competir na categoria adulta até 62kg, do 4º gub (graduação de faixas coloridas).

O projeto

Além das aulas, Marcélia também ressalta as evoluções proporcionadas pelo taekwondo. “Nosso maior objetivo é transformar as crianças em atletas de alto nível pensando na Olimpíada. Na parte social, buscamos desviar as crianças das drogas. O taekwondo é uma arte marcial muito disciplinada, então damos os exercícios às crianças, que têm muita energia, e aprendem também a ter essa disciplina. Com isso, esse tipo de esporte faz com que as amizades se concentrem aqui, em um ambiente longe das drogas, por exemplo. Elas ficam focadas em treinar, competir e estudar, porque também cobramos boas notas.”

Publicidade


*

Restam 500 digitos

 

Top