JF. sexta-feira 24 mar 2017
OUÇA AGORA
Publicidade
11 de janeiro de 2017 - 03:00

Dona de carro não paga flanelinha e tem pneu rasgado

Por Eduardo Valente
pneuflanelinha

Frequentadora de boate encontrou pneu avariado e teve prejuízo de cerca de R$ 200 (Foto: Arquivo Pessoal)

Uma autônoma de 34 anos teve o pneu do carro rasgado, supostamente por um flanelinha, após ter se recusado a pagar R$ 20 a ele. O fato aconteceu na madrugada de domingo, em frente à boate Mansão, no Bairro Aeroporto, Cidade Alta. Segundo a vítima, ela foi abordada por dois guardadores ao chegar na rua onde está a casa noturna e, ao ser cobrada, disse que efetuaria o pagamento na saída. “Ao retornar, não notei nada de diferente, pois o veículo estava em um local escuro. Mas quando coloquei a marcha ré, percebi que o volante estava pesado e, ao sair, notei o pneu rasgado. Como estava sozinha, sem o macaco e a chave de rodas, tive que ir embora de táxi e retornar no dia seguinte”, contou. O prejuízo foi de aproximadamente R$ 200, na compra e colocação de um pneu novo. O caso da autônoma, que preferiu não ser identificada, não pode ser considerado isolado, e as reclamações envolvendo flanelinhas em portas de boates se estendem por toda a cidade. No caso deste estabelecimento, no Bairro Aeroporto, há ainda relatos que os guardadores se utilizam até de máquinas de cartões de crédito para fazer a cobrança fixa de R$ 20.

A direção da boate disse que a questão dos flanelinhas causa muitos transtornos. “São bandidos que estão extorquindo os nossos clientes. Já tentamos diversas vezes solucionar o problema por meio das autoridades, mas não tomam providências. Isso prejudica a boate em vários sentidos, porque os clientes se sentem obrigados a pagar para não ter o bem danificado.” Por conta dos atritos com os guardadores, a direção disse que, na porta da boate, eles não pedem dinheiro, embora isso tenha um preço: “Durante a semana, a casa não abre, e eles aproveitam para jogar pedras em nosso patrimônio. Estamos dispostos a ajudar, no que for necessário, para coibir estas ações”, informou, acrescentando que o gerente da casa pode ser chamado para acionar a polícia e ainda se disponibilizar como testemunha.

A vítima do fim de semana preferiu não registrar boletim de ocorrência, mesmo assim a Polícia Militar informou que o documento policial ainda pode ser solicitado. Conforme o capitão Erick Leal Lopes, comandante da 99ª Companhia do 27º Batalhão da PM, responsável pela região da Cidade Alta, o 190 deve ser acionado quando da cobrança. “Eles podem responder pelos crimes de extorsão e usurpação da função pública. Detectando o crime, vamos conduzi-lo à delegacia e adotar as medidas legais, conforme orienta o próprio Ministério Público.” Neste caso, a vítima e outras testemunhas também devem se fazer presentes.

No entanto, ele relata que o flagrante é dificultado, embora haja ações preventivas nestes locais. “Fazemos patrulhamentos periódicos, mas no momento que a gente passa, eles não atuam.”

Poder Público

Em 2014, a Prefeitura fez um diagnóstico dos flanelinhas que atuam na Zona Sul da cidade, com o objetivo de conhecê-los e traçar um plano de ação para tirá-los das ruas, inclusive com oportunidades de qualificação profissional. Mas o plano teve baixa adesão na época, e, dos 38 guardadores entrevistados, apenas dois aceitaram encaminhamento a projetos sociais. A ideia era expandir o projeto da Zona Sul para outras áreas do município. Procurada ontem para falar sobre o assunto, a Prefeitura informou que não iria se posicionar sobre a questão dos flanelinhas.

Publicidade


32 comentários

  1. Aurora disse:

    Não consigo entender porque a Mansão já não providenciou segurança nesse local. Isso SEMPRE acontece. Já aconteceu comigo. Ao chegar no carro, o flanelinha tinha RETIRADO a placa do carro e sumido com ela. Um absurdo. Claro, a impunidade desses caras o fazem agir assim, mas há de se lembrar que todas as pessoas que estacionam ali, nesse horário, são clientes da Mansão. E eles não se manifestam de nenhuma forma.

  2. Paulo disse:

    Há algum tempo teve ação das policiais contra essas pessoas que ficam extorquindo dinheiro dos motoristas. Na época diminui bastante. Mas tudo no Brasil é para aparecer da imprensa. Passou a noticia, pode parar de trabalhar e deixar a população a mercê da bandidagem, o que, certamente, reflete em outros crimes. Pior se chamar a polícia, terá que ir para delegacia, ficar horas, depois processo, para no final, todos sabem o que acontece. País sem Lei bem feitas é país sem obrigações e direitos.

  3. leandro disse:

    Hoje esses cracudos vagabundos são O CANCER DE JF.. Vc nao imagina a raiva que eu tenho desses vagabundos. Não servem pra nada, usamo espaço publico para usar drogas, fazer sujeira e eventualmente assaltos. Eu intimo todos, e se tiver que espancar um, farei sem duvida. Agora e as mulheres, idosos etc ?? Ficam com medo e dão dinheiro em troca da intimação.. Cade a PM pra tirar essas pragas do São Mateus, Alto dos passos… PQ os donos dos restaurantes não contratam vigia durante o funcionamento

  4. Rodrigo disse:

    Brasiiiiiiiilllllll. Quero saber pq a prefeitura não se pronuncia. Será que são comparsas?

  5. marcos getulio jacometti disse:

    O POVO RECLAMA DO PREFEITO DA POLICIA E DA GUARADA MUNICIPAL ACONTECE QUE VOTARAM DE NOVO NO PREFEITO E SUA TURMA DE SECRETARIOS INCOMPETENTES QUE SO PENSAM EM EXPLORAR A POPULAÇÃO E A SETTRA EM SO COLOCAR AREA AZUL MAS FISCALIZAR, NUNCA A POLICIA POR SUA VEZ TBEM NAUM FICA ATRAS VC CHAMA E SO VAI ATENDER SE TIVER EMERGENCIA COMO O SAMU ,SABE DE UMA COISA NOSSA CIDADE ATE ESTA PARECENDO A CASA DA MÃE JOANA SEM LEI E SEM DONO

  6. José Luiz Britto Bastos disse:

    Flanelinhas, de um modo geral, são desocupados, ligados à bandidagem e muito perigosos. Desde 2014, quando a prefeitura resolveu estudar a possibilidade de tirar esse pessoal da rua, eu disse em algumas reuniões do grupo de trabalho, que nada daria certo e que o tratamento deveria ser outro. Aí está o resultado, não vão sair das ruas e cada vez serão mais petulantes, atrevidos e agressivos. A melhor solução seria as casas noturnas criarem áreas de estacionamento para seus clientes.

  7. vanderley augusto disse:

    Cuidado ao sair e entrar em casa para não ser RENDIDO por CRIMINOSOS.Cuidado ao estacionar para não ser EXTORQUIDO por flanelinhas(LADRÕES).Cuidado ao andar nas ruas para não ser assaltado.Como a polícia não pode ser onipresente,não demora e os cidadãos cerceados reagirão…Mudanças acontecem e nem percebemos.

  8. Breno disse:

    SAO VAGABUNDOS… PRESSIONAM A PAGAR E QUANDO TERMINAM O MOVIMENTO DE ENTRADA ELES VAO EMBORA E OS CARROS FICAM ABANDONADOS LA… OS SR “FLANELINHA” SAO PILANTRAS ANTIGOS DA EPOCA DE AEROPUB, W100 ETC… ESTAO ANDANDO DE CARRO E MOTO COM O DINHEIRO FACIL

  9. Eduardo Resende disse:

    Cidadão aí em baixo falando em convênio com a PMMG ? Tá custando R$2.000,00/ mês. Quem tem dinheiro sobrando??

  10. Caze disse:

    Apertem os cintos a PM sumiu !!! Pessoal não temos policia para nada, nem PM e nem esse LIXO de Guarda Municipal que não guarda nada, a não ser o talão de multas de estacionamento proibido na area azul. Não dá para colocar os escassos policiais para tomar conta de carro em porta de boate, eles tem que tomar vergonha e contratar segurança propria. Estado quebrado e o Pimentel passeando e comprando mais helicopteros, nenhum para policia e aqui Flanelinha tem quer ir para o CERESP.

  11. WILLIAM BOY disse:

    APOSTO QUE O MESMO TEM PASSAGEM…

  12. HELIO OLIVEIRA disse:

    Simples, um policial chega para o Flanelinha e pede 200,00 na noite, ambos faturam com o eequema. Simples assim só pode ser isso, para a Policia fazer vista grossa

  13. sergio cardoso disse:

    Como pode a policia não saber que sempre houve flanelinhas e toda as partes de juiz de fora.
    Agora para fazer blitz hahaha .
    Este e nosso brasil.
    Que arrependimento eu tenho ,de não fazer um curcuso em vez de virar um humilde engenheiro.

  14. tania disse:

    Aqui no Alto dos Passos não é diferente,eles atuam de dia de noite e todos os dias ,sabem quando as pessoas não estão em casa e falam p os usuários colocarem seus veículos em entradas de garagens de prédios casas etc.só quem mora aqui é quem sabe gritos o dia todo chamando os motoristas, aos gritos ……………………!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  15. Dias disse:

    Detalhe é que os flanelinhas praticam o crime de “Usurpação da Função Pública”. Ou seja, no máximo, deixaremos de pagar ao flanelinha para pagar à PJF. A área azul é um flanelinha oficial. Não tem pra onde correr, o cidadão vai ser roubado de qualquer jeito! A Polícia Militar não manda uma equipe à paisana pra esses locais por que interessa apenas a defesa do Patrimônio Público. Não basta os flanelinhas, temos as ruas esburacadas da cidade e Guarda Municipal pra aplicar multa. Vergonha Bruno!

  16. Guilherme disse:

    No próximo final de semana será a mesma coisa, se nao pagar 20 reais os clientes da casa noturna terão seu carro danificado e nada será feito, eu particularmente já tive que pagar muitas vezes e confesso que a única coisa que eles respeitam e uma arma da fogo, o que aconteceu quando fui acompanhado de uma amigo que tem porte! Fazer progama para encaminhar vagabundos que nao querem trabalhar para qualificação profissional soa como piada !! Coisa de veriador esquerdista !

  17. Coxinha disse:

    Bruno quer fazer ponte … PM só da caixa postal … O brasil já era …
    e X D Fora foi para o Cemitério …. a Bandidagem venceu … Brasil quebrou!

  18. ps mineiro disse:

    Outras soluções: quem mais pode lucrar com a presença e tranquilidade dos clientes são as casas noturnas. A divulgação de que um local tem segurança e tranquilidade lhe renderá muitos clientes e mais lucro sem dúvidas. Porque estas casas não bancam uma segurança própria e com isto expulsam estes bandidos, podendo manter convênio com a policia também para atuarem de imediato no caso de reações criminosas e até autuando ou prendendo bandidos. Problemas simples pra serem debelados se houver vontade

  19. PS MINEIRO disse:

    Outras ações secundárias (em último caso): obrigar as empresas de parkimetros a instalar os equipamentos no entorno destas áreas afetadas por bandidos, mas com a obrigação formal de manter um ou mais funcionários administrando o movimento da área. Em caso de presença suspeita acionarem a policia de modo que há necessidade de comprometimento das autoridades. Porque a PJF se isenta de se pronunciar? Se isentam de cobrar taxas? Se isentam de arrecadar? E os direitos básicos dos cidadãos?

  20. ps mineiro disse:

    Ha varias soluções práticas: o poder publico estabelecer que a prática é crime e ir atuando nestas áreas (uniformizados ou a paisana) e a ação deve ser cirúrgica/prática: prisão com fiança. Outra ação colocar câmeras estrategicamente no entorno e em caso de abordagens recorrentes ou suspeitas acionar imediatamente alguma viatura e, no mínimo, recolher o individuo. Na reincidência deixar o indivíduo preso por suspeita de extorsão.

  21. Ângelo disse:

    Hoje passei pela rua Batista de Oliveira e fiquei admirado ao ver a quantidade de carros a venda. Todos identificados com frases promocionais nos para brisas. Atravessei a rua para ver se estavam com os tickt’s de estacionamento rotativo. Não vi em nenhum. E o prefeito, guarda municipal, não fazem NADA, NADA, NADA.

  22. sergio disse:

    NO ALTO DOS PASSOS A PREFEITURA COMEÇOU A COBRAR AREA AZUL E NAO ADIANTA NADA OS FLANELINHAS CONTINUAM LA….PAGAM PRA ELES E PRA PREFEITURA

  23. sergio disse:

    olha nao vai muito longe…ali no manoel honorio fica cheio de flanelinhas, cobrando perto do posto policial e eles nao falam nada, poxa precisa ir la pedir intervençao das autoridades ou eles tem o dever de fazer

  24. Contribuinte disse disse:

    As Casas Noturnas que querem solução devem é instalarem câmeras de segurança e monitorá-las para assim agirem denunciando à Polícia o momento em que ocorrerem os crimes. E a Polícia deveria dar apoio a está iniciativa das câmeras de segurança próximo as Casas Noturnas de Juiz de Fora.

  25. JULIA disse:

    Realmente nesse local sempre foi assim, muito antes dessa boate funcionar, já me deparei com homens fortes que tinham intenção de nos inibir devido a sua fisionomia.Cobravam caro, absurdo! E o pior policiais não fazem simplesmente nada. No Manoel Honório a mesma coisa, aquele posto não serve para nada, já fui advertida por parar em local errado por um policial estúpido que foi tremendamente grosseiro, vejo que lá a criminalidade corre solta e eles nada fazem, já vi muita coisa errada ali.

  26. Sérgio Garin disse:

    Chamar a PMMG é perder tempo, pois não adianta nada.

  27. Sérgio Garin disse:

    Onde está a Guada Municipal? Já sei no calçadão passeando em grupo e/ou dando umas voltinhas de carro queimando gasolina pelas ruas de Juiz de Fora. É fantástico!!!!! Enquanto, temos os parquímetros arrecadando dinheiro para o poder público, e nós a merce dos bandidos flanelinhas nos pressionando, nos extorquem etc. Enfim, o poder público só pensa em arrecadar dinheiro para os cofres públicos cada dia mais. Tenho vergonha de ser juizforano com a falta de respeito com nós cidadãos. Fico triste!

  28. antonio disse:

    eles querem receber adiantado e quando voltamos mais tarde não tem um se quer. são bandidos dizendo q são flanelinhas. a policia não faz nada mesmo

  29. claudiomar cerqueira disse:

    No Manoel Honório os flanelinhas atuam em pleno horário da área azul, bem em frente ao ¨SUPOSTO POSTO POLICIAL ¨ e nenhuma autoridade toma providência, e quando chega a noite as abordagens se intensificam, com intimidações e danos aos veículos dos que se recusam a pagar.

  30. cidadão disse:

    Na rua Manoel Bernardino todos os dias ficam flanelinhas atuando. Todos sabem, inclusive a polícia e a prefeitura. Você nem parou o carro e logo vem o sujeitinho correndo em sua direção. Quem arrisca a não dar o dinheiro pra esses caras? Agora, me desculpe a polícia militar, mas ninguém faz nada pra coibir estas ações. E quando acontece algo do tipo que relata esta matéria, vem com essa conversinha de que a polícia realiza ações preventivas. Mentira!

  31. cidadão disse:

    Me desculpe, mas a fala do capitão da polícia militar não condiz com a realidade. Semana passada, na Rua Carlos Chagas, entre as ruas São Mateus e Av. Itamar Franco, havia dois policiais militares batendo papo com um senhor, e do lado deles um flanelinha atuando. Os policiais nem olharam para o flanelinha. Se a própria polícia não faz nada, o que o cidadão vai fazer? Outra rua que diariamente tem flanelinha é a rua Manoel Bernardino. É sabido de todos, mas ninguém faz nada.

  32. Alberto Name Feres Jr. disse:

    Se se utilizam de maquinas de cartão de crédito, o que está faltando para a identificação desses bandidos? Ah! Vontade de trabalhar !!!!

*

Restam 500 digitos

 

Top