Publicidade

15 de Março de 2014 - 06:00

Por Tribuna

Compartilhar
 

Brasília (ABr) - A Operação "Leite compensado 4", deflagrada na manhã de ontem, concluiu que 299 mil litros de leite adulterado foram distribuídos no Paraná e em São Paulo, embalados com as marcas Parmalat e Líder. A operação começou em fevereiro, quando o Ministério Público do Rio Grande do Sul (MP-RS) recebeu documentação do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) informando que 12 amostras de leite cru, coletadas no posto de resfriamento do Laticínios O Rei do Sul, em Condor (RS), tinham formol. Odir Pedro Zamadei, dono do posto de resfriamento, foi preso.

Parte do leite impróprio foi entregue à LBR Lácteos Brasil SA, de Tapejara (RS), empresa de laticínios que enviou 100 mil litros de leite para a unidade de Guaratinguetá (SP) e 199 mil litros para a cidade de Lobato (PR). O leite adulterado, enviado para São Paulo, foi embalado com a marca Parmalat, enquanto o que foi para o Paraná foi embalado com a marca Líder. A LBR não informou o lote de produção, mas a data de fabricação é nos dias 13 e 14 de fevereiro.

No final a tarde, a empresa divulgou nota dizendo que todo o leite contaminado foi recolhido. A LBR disse que tomou conhecimento da "possível contaminação" do leite no dia 10 de fevereiro e que, logo em seguida, recolheu todos os lotes. Segundo a LBR, o leite tinha passado por testes de qualidade previstos na legislação e não foram detectadas anormalidades.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que o subsídio do Governo vai alavancar a aviação regional?