Publicidade

19 de Dezembro de 2013 - 07:00

Por Tribuna

Compartilhar
 

Brasília (ABr) - O sistema de bandeiras tarifárias, que seria implementado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) a partir de janeiro para alertar os consumidores sobre o custo das tarifas com o uso de termelétricas só será adotado em 2015. O adiamento foi aprovado na noite de terça-feira pela diretoria da agência, por necessidade de aperfeiçoamentos de regras no sistema, que continuará sendo testado em 2014.

As bandeiras tarifárias começaram a ser testadas em maio deste ano, sem custos para os consumidores. Com a nova sistemática, haverá uma sinalização mensal do custo de geração de energia elétrica, levando em conta o uso maior ou menor de termelétricas. Assim, a pessoa poderá gerenciar melhor o seu consumo de energia e reduzir o valor da conta de luz.

As bandeiras tarifárias funcionarão como um semáforo de trânsito: a bandeira verde significa custos baixos para gerar a energia, portanto, a tarifa de energia não terá nenhum acréscimo naquele mês. A bandeira amarela indicará um sinal de atenção, pois os custos de geração estão aumentando. A bandeira vermelha mostrará que a oferta de energia para atender a demanda dos consumidores ocorre com maiores custos de geração, caso do acionamento das termelétricas. Quando a bandeira amarela é aplicada, será adicionado R$ 1,50 para cada quilowatts-hora consumido e, na bandeira vermelha, R$ 3 para cada 100 quilowatts-hora.

A Aneel também decidiu na terça-feira alterar os valores que determinam o acionamento das bandeiras amarela e vermelha. A bandeira amarela será acionada quando o custo de operação ultrapassar R$ 200 por megawatt-hora (antes era R$ 100), e a vermelha passa a vigorar com custo acima de R$ 350 por megawatt-hora (antes era R$ 200).

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você participa das celebrações da Semana Santa?